quarta-feira, 26 de junho de 2019
Nada Pop

O drible da vaca

A manobra é a seguinte. Consiste em, uma vez no campo de futebol, de posse da bola e de frente para um indivíduo do time adversário, você deve chutar a bola para um dos lados (esquerda, por exemplo, sempre à esquerda LULA LIVRE! MARIELLE VIVE! – isso é sério!)… …voltando, você chuta a bola pra esquerda, contorna o adversário pela direita, retoma a posse da bola e segue adiante rumo ao gol! Isso é denominado como drible da vaca!

Nosso cenário político é um drible da vaca que deu errado. Não retomamos a bola, não passamos pelo adversário. Pelo contrário, parte da população conseguiu eleger o pior candidato que existia, o Bozo. Prefiro chamar ele assim, embora tenha pena de usar o nome do palhaço Bozo, que alegrava as crianças na TV com a corrida do cavalinho por telefone, tudo isso muito louco, chapado de pó. Ele não merece ter seu nome aliado a figura do monte excrementos que está no comando (hã!!!) da nação.

O Neymar já deve ter acertado algum drible da vaca. Fora dos campos ele e seu papai fazem manobras sagazes. Conseguem dever uma caralhada de dinheiro em impostos e evitar investigações ou cobranças. O pai foi recebido pelo Bozo, hablaram e meio que deixaram de lado. O presidente que adora lamber botas dessa vez lambeu as bolas da família Neymar. Nessa semana em que o crack de futebol é acusado de estupro, o cretino do presidente faz o que… …apoia o menino!

Menino??? (Como assim, menino???)

Não posso dizer quem é inocente, quem é culpado. Mas um presidente que elogia torturador, tem filhos cercados de milicianos e compactua com assassino não é o melhor apoio para quem está sendo investigado por estupro.

O trio de excrementos que Jair colocou no mundo, também chamados por ele de filhos, assumem na cara dura a postura papai-é-presidente. Algo como um fã do Matanza que conheci no tempo em que ainda frequentava os bares de rock (puta coisa chata rock!) e que defendia aquele vocalista grandão que se achava o Lemmy carioca. Se esse governo tivesse uma trilha sonora ia ser Matanza!

Agora um breve interlúdio mãe Dinah – Não vai acontecer NADA com o menino Neymar, daqui duas semanas ele aparece em uma loooonga entrevista no Fantástico, que vai refazer toda a trajetória dele no futebol, sua vida com o filho e a amizade com os parça! Por fim uma imagem dele fazendo um gol, fecha pra um zoom no sorriso do menino Neymar e a nação já pode dormir tranquila fazendo arminha com a mão.

Nessa junção de papai Bozo, filhos mimados usando um país como playground e Neymar me sinto como alguém que está tentando dar o drible da vaca… …pela esquerda sempre, mas eu jogo mal pacas!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Rafael Moralez

Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações: https://moralezrafa.wordpress.com/

%d blogueiros gostam disto: