quarta-feira, 22 de maio de 2019
Nada Pop

Henrike, do Blind Pigs – Incomodar é com ele

A gravadora Hearts Bleed Blue, se você acha complicado falar esse nome pode apenas dizer HBB, anunciou a pré-venda da coletânea “Para Incomodar”, organizada pelo Henrike, do Blind Pigs, e que reúne 18 bandas de street punk nacional. O álbum faz parte do subselo da HBB, o Semper Adversus, criado pelo Henrike.

A pré-venda, por enquanto, será apenas no formato CD digipak, mas quem garantir a compra antes do lançamento oficial ainda poderá levar um pôster do disco e uma camiseta do Semper Adversus por um preço mais barato. Bem como disse o Paulo Rocker, ilustrador e responsável pela arte do álbum, “compre e depois decida se quer ou não”.

O álbum pode ser adquirido na loja virtual da HBB clicando AQUI. Para falar sobre a coletânea, entre outros assuntos relacionados ao street punk, conversamos um pouco com o próprio Henrike, confira o papo abaixo.

Entrevista Henrike, Blind Pigs

para_incomodarNADA POP – Como foi o processo de seleção das bandas que participam da coletânea e quanto tempo durou da produção até o lançamento do álbum? Além disso, gostaria que você falasse qual o significado dessa coletânea para a cultura street punk.

HENRIKE – Algumas foram bandas que conheci na turnê de XX Anos do Blind Pigs em 2013, outras foram indicações e outras são bandas de amigos de longa data. Pensei em montar uma coletânea no final de 2012. Eu queria uma coletânea que representasse, fizesse barulho na cena underground, não queria apenas mais uma coletânea com um milhão de bandas, onde cada banda pagasse uma cota. Nenhuma banda pagou UM CENTAVO para estar na “Para Incomodar”. Montar uma coletânea sempre é um processo difícil, ainda mais uma com 18 bandas. Algumas bandas gravaram músicas novas para o disco, então claro que demora um pouco mais. Outras sempre atrasam o envio do material, mas no final deu tudo certo, ela tá aí em CD e em breve em vinil.

Acredito que a “Para Incomodar” é um fiel retrato da cena atual. Uma ou outra banda que convidei para participar declinou do convite alegando que não queriam estar presentes em uma mesma coletânea com bandas que levantam a bandeira do Oi!, mas sem mágoas, continuamos amigos, respeito a decisão de cada um e até agora não vi nenhuma dessas bandas que declinaram o convite falarem mal do disco. O respeito tá aí e é muito bem vindo.

NADA POP – Em uma outra entrevista sua você diz que seu primeiro contato com o punk foi baseado na música, não na ideologia. Você diria que isso ainda é o que sempre influenciou sua vida ou você possui alguma ideologia política também relacionada ao punk, e qual seria?

HENRIKE – Sem dúvida, gostei do punk rock na primeira vez que escutei por causa da energia que transbordava das caixas de som, era uma música furiosa, porém melódica. Porra, eu era uma criança, tinha uns 9 anos, eu queria saber era do som, foda-se a política, nem sabia o que era ideologia naquela idade. Hoje tenho minhas ideologias políticas sim, mas não misturo elas com a banda. Sou vocalista de uma banda de punk rock, não sou político, não estou concorrendo a nenhum cargo público e nem quero que todos pensem igual a mim. O Blind Pigs tem várias letras sócio-políticas, mas nenhuma que diga que isso é certo e aquilo é errado. Não sou dono da verdade e nunca quis ser.

semper_adversus

NADA POP – Sobre a coletânea, além do lançamento pela HBB, o álbum também saíra no formato vinil. O lançamento também será feito no exterior? Pode dar mais detalhes a respeito de como isso irá ocorrer e quais selos/gravadoras irão distribuir?

HENRIKE – Será lançada em vinil na gringa pelas gravadoras americanas Pirates Press Records e Longshot Music, gravadoras com bandas como Rancid, Street Dogs, Booze n Glory, Noi!se, Bishops Green, Old Firm Casuals, enfim, só a nata do street punk mundial e agora com a coletânea “Para Incomodar” entre esses pesos pesados. Cada selo irá prensar o vinil com uma variação de cor diferente, mantendo sempre o verde/amarelo. As versões gringas irão ter um encarte em inglês. Coisa fina, é a nossa cena sendo muito bem representada lá fora.

zine_henrike

Zine “De Onde Vem?” sobre o Henrike – Download AQUI

NADA POP – O punk Oi!, em tese, nasceu apolítico, nem esquerda e nem direita, e lida com questões do dia-a-dia, relacionadas as ruas e trabalho. Em alguns momentos da história, o estilo foi associado a facções nazistas, o que causou certo preconceito com o estilo. Você acredita que há ainda um preconceito grande com o estilo e que associações com o nazismo ainda são feitas?

HENRIKE – Ah sim, claro, até porque existem bandas White Power, mas isso é uma outra cena, uma outra realidade. E outra, quando aparecem as palavras “punk” e “skinhead” no noticiário é só treta, facada e desgraça. Aí a sociedade associa punk e skinhead a isso mesmo, sem conhecer a verdadeira cultura skinhead e sem ter a mínima noção da cultura punk.

NADA POP – Agradecemos o papo, como encerramento pedimos apenas que deixe uma mensagem a respeito do nome do álbum, ele surge para incomodar quem?

HENRIKE – Não irei dar nome aos bois, mas tá incomodando muita gente!

*******************************************

Para ouvir o álbum “Para Incomodar” basta apertar o play abaixo, lembrando que o programa Semper Adversus, apresentado pelo Henrike, junto com Kleber Forti, está na web rádio Antena Zero e que vai ao ar em todas as quinta-feiras, às 22h . Acesse a rádio clicando AQUI.

O site Subverter lançou em outubro um Fanzine com a história de vida do Henrike, para conferir o zine e fazer o download do arquivo basta clicar AQUI. Se curtir o formato, não deixe de fazer cópias e entregar para outras pessoas.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: