segunda-feira, 27 de setembro de 2021
Nada Pop

O caos do isolamento no Apartamento 41 da Carbônica

Se você conseguiu, desde março de 2020, cumprir o recomendado isolamento social durante a pandemia, deve ter tido momentos em que sentiu que tudo continua igual, parado sem mudar, e outros em que teve que lidar com seus antigos problemas somados a novas e diferentes adversidades.

É sobre esses sentimentos gerados pelo silencioso caos da quarentena, aliados aos já existentes problemas da vida urbana, que a Carbônica, banda de Guarulhos (SP), fala em seu novo disco, cujo nome já remete a um local de isolamento cosmopolita, Apartamento 41, e cuja capa parece mostrar a visão que muitos têm atualmente: o céu visto de uma janela quadrada.

Direção de arte da capa: Will Carbônica; Foto: Daiana Oliveira Lopes

Formada por Vini Carbônica e Will Carbônica, a banda, que está na ativa desde 2007, explorou novas sonoridades neste segundo disco, sem deixar de lado as claras influências do rock nacional mais clássico. São oito faixas: sete autorais e uma adaptada de um poema da artista Aline Fonseca (“Com ou sem você (um vício)”), produzidas por eles em parceria com Leandro Sousa.

A segunda faixa do disco, “A Cidade Parou (Junto com meu Coração)”, ganhou um videoclipe com ilustrações de Leandro Franco.

A criação do disco

Apartamento 41 não inova apenas nas composições e arranjos, já que o processo de gravação mudou também dentro desta nova realidade. Para Will, conceber um disco do zero em plena pandemia foi um desafio e tanto. “Criar em meio ao caos sempre foi habitual, mas estamos em um momento extremo onde o psicológico de qualquer artista que esteja antenado com o que está acontecendo ao seu redor – e tenha o mínimo de sensibilidade – pode ter seu coração mastigado pelo que vê da janela de sua casa ou de seu computador”, reflete.

Por conta da pandemia, a Carbônica teve de parar uma turnê pelo estado de São Paulo, o que gerou uma angústia para a banda, e que refletiu no processo criativo do grupo. “Em casa nos deparamos numa luta contra nossa ansiedade e medo, a criação desse disco foi a maneira de contar como estávamos atravessando a pandemia, ou como a pandemia estava atravessando cada um de nós. A produção foi totalmente diferente de qualquer outro disco nosso, fizemos tudo do zero, tirando o som e gravando cada um de sua casa. Todas as letras foram compostas ou finalizadas nesse mesmo período também”, completa Will.

Ouça o disco Apartamento 41:

————–

Aproveitando, o Nada Pop está com uma campanha no Apoia-se. Contamos com o seu apoio para continuar esse trabalho. É possível contribuir com qualquer valor a partir de R$ 1 real. Junte-se a nós: https://apoia.se/nadapop.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Formada em Letras, fala sobre livros no Instagram, reclama no Twitter e faz listas e resenhas como editora do Nada Pop.

Deixe seu comentário