segunda-feira, 24 de maio de 2021
Nada Pop

O que é mais punk do que adolescentes gritando em uma biblioteca pública?

Por Lars Gotrich, publicado originalmente em NPR.org

Poucas coisas enchem o coração de esperança como um grupo de meninas tocando punk rock em uma biblioteca pública. Em um espaço onde livros e informações abrem mentes, lá também nossas mentes deveriam ser explodidas por gritos pontuados de acordes de poder de “Poser! Estúpido! Canalha! Idiota!”

The Linda Lindas – uma banda meio asiática, meio latina com “duas irmãs, uma prima e sua amiga”, de acordo com o perfil do Bandcamp – abriu a celebração do Mês do Patrimônio AAPI da Biblioteca Pública de Los Angeles em 4 de maio. Entre pilhas de livros e um com um pequeno público mascarado, a banda percorreu um conjunto de 40 minutos de sons autorais antes de fechar com covers de “Rebel Girl” de Bikini Kill e “Big Mouth” da Muffs. Mas recentemente, quando a biblioteca twittou, “Não mexa com The Linda Lindas” com um clipe de sua mais nova música, que nossas novas rainhas tomaram seu trono.

“Um pouco antes de entrarmos no bloqueio, um menino veio até mim na minha classe e disse que seu pai disse a ele para ficar longe dos chineses”, diz Mila, a baterista, no início do vídeo. “Depois que eu disse a ele que era chinesa, ele se afastou de mim. Eloise e eu escrevemos essa música com base nessa experiência.”

“Racist, Sexist Boy” avança com uma fúria lamacenta e um baixo estrangulante, girando em uma moeda com o rápido refrão power-pop; é uma destruição cruel de meninos de mente fechada, mas canaliza a raiva para a renovação: “Nós reconstruímos o que você destrói.” Mas a música também se estende desde os primeiros provocadores do punk: mulheres que cantavam sobre misoginia e racismo muito antes que a cena masculina, tipicamente branca, percebesse. Entre essas vozes principais, Kathleen Hanna e Alice Bag são fãs, e já tiveram a Linda Lindas abrindo shows, enquanto Hayley Williams (Paramore) twittou que Linda Lindas “tem sido uma das minhas novas bandas punk favoritas desde a época em que saíram do útero”.

O nome de The Linda Lindas vem de Linda Linda Linda, um filme japonês de 2005 sobre garotas começando uma banda (para fazer um cover da música “Linda Linda” dos Blue Hearts) para o festival cultural do colégio. Eles recentemente apareceram em dois filmes: no MOXIE de Amy Poehler, apresentando covers de Bikini Kill e The Muffs para uma festa; e apresentando uma música original no The Claudia Kishi Club, um pequeno documentário sobre a personagem nipo-americano do The Baby-Sitters Club.

Assista acima a apresentação completa da banda na Biblioteca Pública de Los Angeles.

**********

Aproveitando, o Nada Pop está com uma campanha no Apoia-se. Contamos com o seu apoio para continuar esse trabalho. É possível contribuir com qualquer valor a partir de R$ 1 real. Junte-se a nós: https://apoia.se/nadapop.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

O Nada Pop é um espaço sobre punk, hardcore e alternativo. Acesse as nossas redes sociais e participe do nosso crowdfunding. O seu apoio é fundamental para fortalecer esse trabalho. Link: https://apoia.se/nadapop

Deixe seu comentário