segunda-feira, 24 de maio de 2021
Nada Pop

O existencialismo musical de Espinoza e a vontade de vencer uma guerra interior

Grupo carioca lança um segundo EP batizado de “Pensamentos metafísicos e um tiquinho assim de Carimbó”

Nesta sexta-feira, 14, a banda carioca Espinoza lança o seu segundo EP intitulado “Pensamentos metafísicos e um tiquinho assim de Carimbó”. Um trabalho gravado e produzido totalmente em casa, durante o período da quarentena.

De acordo com o grupo, levando-se em conta todas as expectativas frustradas pela pandemia, foram resgatadas velhas ideias e rabiscos que serviram de base para esse novo lançamento. Com influências que percorrem desde o emocore ao indie, a banda também transita em elementos brasileiros e sonoridades que transcendem o rock convencional.

No final do ano passado, o grupo lançou o clipe da faixa “Porrada”, que seria de certa forma também uma espécie de amostra do que estaria por vir em 2021. Mas não se engane, a pegada mais agressiva e letra contundente se torna apenas uma das faces da banda, que no lançamento de “Pensamentos metafísicos” se aprofunda em diferentes temas, diria até que existencialistas.

Cabe dizer que o EP conta com a participação de Ísis Cardoso, vocalista e guitarrista da banda Unicórnio Maravilha, na faixa “Sonho do Sucesso”. É aquela música que tem um dos melhores trechos que ouvi recentemente em um disco nacional.

“Dois mil e vinte e eu continuo odiando gente chique. Dois mil e vinte e eu continuo sem usar um sapato. Dois mil e vinte e eu continuo me autossabotando. Dois mil e vinte e continuo procrastinando”, diz a faixa.

Ao todo, são sete músicas em pouco mais de 20 minutos. Cada som se contrapõe e se completa, variáveis sonoras e ritmos que até soam alegres e dançantes, porém com vocais melancólicos que me fizeram lembrar um pouco o “Bloco Do Eu Sozinho”, dos Los Hermanos.

As faixas “Coisas Frágeis”, “Especial” e “Sonho do Sucesso” remetem mais claramente ao título do disco. Já que, no campo da filosofia, a metafísica examina a natureza da realidade e a nossa relação entre mente e matéria, substância e atributo, a Espinoza aprofunda essas questões tão propícias ao nosso atual momento.

Viver é desafiar o medo, se apaixonar é nadar contra a corrente e sentir acaba sendo um jeito de fluir junto com a natureza. Vivemos mais em nossas mentes do que no dia a dia, em uma complexa luta entre o que queremos de fato e o que somos obrigados a existir. Uma luta sem fim, porém a reflexão e a arte se tornam um refúgio.

Em resumo, “Pensamentos metafísicos e um tiquinho assim de Carimbó” é como a frase de Gabriel Myslinsky, ao menos o possível autor que identifiquei deste trecho, que faleceu em 2015, aos 25 anos de idade.

No caso, o álbum remete ao sentimento de que “viver é saber caminhar na corda bamba da vida, diante do precipício das ilusões, mas sem deixar de contemplar o belo e mantendo sempre o foco no que é essencial”.

Caso prefira ouvir o EP no YouTube, basta clicar AQUI. Para escutar no Bandcamp, acesse o endereço do grupo na plataforma: espinozabrasil.bandcamp.com. Todas as redes sociais da banda estão disponíveis no link https://linktr.ee/espinoza_.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Jornalista, editor e fundador do Nada Pop. Um dos organizadores do tributo ao SUB e apresentador do podcast Arte Inflama. Siga no Instagram: @nxdapop

2 Comentários

  1. Evódia disse:

    Parabéns pela sensibilidade das suas palavras…falou- me ao coração!
    Sou suspeita pra falar da Espinoza,pois na veia de alguns dos componentes,corre o meu sangue! Admiro-os e me emociono com cada composição.
    Felicidades e longevidade pra eles!

    Abraços!
    Fique bem!

    Evódia

Deixe seu comentário