segunda-feira, 27 de setembro de 2021
Nada Pop

Speed of Light e a explosão jovem do desert rock e grunge

Speed of Light - Foto: divulgação

No início do ano conheci uma das bandas que pretendo acompanhar para o resto da minha vida: Speed of Light.

Esse trio de irmãos acabaram montando uma banda que mistura o desert rock, com fortes influências do stoner, mas com um estilo punk e garage que nos pega de surpresa pela sua ferocidade. Um rock sujo, com diversos riffs e que também chama a atenção por serem tão jovens.

Com origem em Santa Mônica, na Califórnia (EUA), esse power trio com menos de 20 anos de idade, conta com o contrabaixo e vocal rouco da adolescente Riley, de 14 anos, da guitarra de Cameron, de 17, e da bateria de Tyler, 15. Mesmo tão jovens e com rostos que podem nos enganar e nos fazer acreditar que são uma banda de pop rock, os gritos roucos da Riley faz esse pensamento quase que imediatamente mudar.

Mesmo com poucos singles e clipes no Spotify e YouTube, que não nos deixa sentir ainda mais a intensidade de um show completo do grupo, é possível ter uma ideia. O interessante é que as faixas e os clipes são do trio tocando ao vivo, o que aumenta a sensação de você estar conhecendo a banda como se estivesse ali também, junto com eles.

“Estamos sempre experimentando como tornar uma música mais visceral. Primeiramente somos uma banda ao vivo, então é importante para nós nos conectarmos com o público de uma maneira que você realmente possa sentir. Se estivermos fazendo certo, você deve sentir a música da maneira como a estamos sentindo”, explica Cameron para o site GigRadar.

Na música “Kill The Vibe”, onde recomendamos que assista também o clipe, começa devagar com a bateria, uma nota prolongada de guitarra que depois cai em um riff sujo. Em seguida, muda para uma levada mais “zen” e você ouve a voz de Riley completamente rouca, forte e agressiva. O baterista também ajuda nos gritos durante o refrão, tão roucos e intensos quanto ao da irmã.

“A música surgiu de nossa experiência na cena underground. Eu acho que você chamaria de carta de amor para a cena. Como diz a letra, estamos apenas ‘vivendo a viagem’”, diz Tyler durante a mesma entrevista.

Speed ​​of Light reúne as diversas influências musicais dos três irmãos. Cameron gosta de rock clássico e stoner, Tyler gosta mais de punk, enquanto Riley gosta de bandas como Sonic Youth, The Cure e Radiohead.

Speed of Light - Foto: divulgação

Speed of Light – Foto: divulgação

“Nós escrevemos nossa própria música e tocamos porque realmente gostamos de todo o processo, do começo ao fim. É estranho lançar uma música no Youtube ou Spotify porque não estamos nos conectando com o público da mesma forma que faríamos se estivéssemos tocando ao vivo. Estranho não é necessariamente ruim, é apenas novo”, explica Cameron sobre a composição musical.

Claro que ninguém podia prever uma pandemia e sequer tínhamos ideia do tempo que ficaríamos sem shows – apesar de que esse é o menor dos nossos problemas atualmente – mas é interessante ver o quanto a banda gosta tanto de soar ao vivo nos streamings enquanto a maioria das bandas se voltam mais para essas plataformas, porém no sentido inverso, com gravações em estúdio e faixas com bastante produção (e não há nenhum mal nisso).

Nessa entrevista para a GigRadar, a banda diz que pretende lançar novos materiais em 2021. Mas chamou a atenção a informação de que a banda realizou mais de 70 shows em 2019. Sem dúvida, quando os shows voltarem, Speed of Light será uma dessas bandas que será interessante assistir ao vivo e, quem sabe um dia, possam visitar o Brasil para shows.

É possível acompanhar a banda nas redes sociais, como Facebook e Instagram, além de conferir as músicas no Spotify e no YouTube.

**********

Aproveitando, o Nada Pop está com uma campanha no Apoia-se. Contamos com o seu apoio para continuar esse trabalho. É possível contribuir com qualquer valor a partir de R$ 1 real. Junte-se a nós: https://apoia.se/nadapop.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Jornalista, editor e fundador do Nada Pop. Um dos organizadores do tributo ao SUB e apresentador do podcast Arte Inflama. Siga no Instagram: @nxdapop

2 Comentários

  1. Bá Monteiro disse:

    Eu ameiiiii

Deixe seu comentário