segunda-feira, 21 de setembro de 2020
Nada Pop

5 documentários sobre música e feminismo que você precisa assistir

A luta das mulheres por mais espaço e reconhecimento profissional em diferentes áreas é um fato. E na música não seria diferente. Há anos, artistas femininas lidam com diferentes formas de opressão e muitas se rebelam contra isso, marcando uma geração e influenciando as próximas. E, muitas vezes, elas nem mesmo precisam dizer a temida “palavra com F”, mas aqui nós vamos falar e, por isso, listamos 5 documentários sobre música e feminismo que você precisa ver.

1. The Punk Singer (2013)

Líder do movimento riot grrrl nos EUA, a vocalista da Bikini Kill, Kathleen Hanna, tem sua vida documentada neste filme, dirigido por Sini Anderson. O filme combina entrevistas e imagens de arquivo para trilhar um roteiro que vai desde a educação problemática de Kathleen, seu primeiro contato com poesia, os zines, a chegada ao sucesso com a Bikini Kill, a carreira solo e a Le Tigre, além do casamento com Adam Horovitz, dos Beastie Boys, e como isso “contrastava” com seu ativismo feminista, até sua forma de lidar com a doença de Lyme, que foi diagnosticada em 2010.

2. Faça Você Mesma (2019)

Já que falamos sobre o movimento riot grrrl, é interessante saber sobre a chegada desse movimento ao Brasil, e é isso que o documentário dirigido por Letícia Marques faz.

Faça Você Mesma reúne fotos, vídeos e entrevistas com as mulheres que fizeram essa cena se desenrolar nos anos 90 em São Paulo. Os materiais compilados de uma pesquisa, feita durante quatro anos pela cineasta, levam o espectador de volta para o período em que bandas como Dominatrix, TPM e Hitch Lizard dominavam os espaços de punk rock e chamavam as garotas para a frente e mostra como esse grito por liberdade, mais espaço e empoderamento não foi esquecido, incluindo entrevistas com as bandas influenciadas por ele, como Miêta, Bertha Lutz e Siete Armas.

3. Eu Vejo Névoas Coloridas (2020)

Dirigido por Pedro Jorge, o documentário Eu Vejo Névoas Coloridas mostra, em menos de 20 minutos, quem é Gisele Marie Rocha, uma brasileira, guitarrista da banda de trash metal Eden Seed, que se converteu ao Islamismo e, por isso, toca usando niqab. O nome do documentário vem do que Gisele diz ver quando toca o instrumento que é uma extensão de seu corpo, segundo ela.

Apesar de curto, o documentário aborda a liberdade de escolha das mulheres, a intolerância religiosa, e a luta de Gisele para que sua religião não fale mais alto que seu profissionalismo e sua dedicação à música.

4. Matriz.doc (2020)

“Como é que foi esse lance de ser uma menina de 16 anos e ter uma banda de hardcore em Salvador?”, é uma das perguntas que Pitty se faz no trailer do documentário Matriz.doc, que, como o nome entrega, mostra as gravações e os caminhos que a cantora percorreu até a finalização de seu último disco Matriz.

Quem ouviu o disco sabe que a obra é quase uma autobiografia, no qual a cantora se reconecta com as raízes baianas enquanto se projeta pro futuro, mantendo a autenticidade sem medo de ser popular. Esse processo de autoconhecimento e resgate é mostrado no documentário dirigido por Otávio Sousa, lançado este ano.

5. Gaga: Five Foot Two

Assim como Matriz.doc, o documentário de Lady Gaga, dirigido por Chris Moukarbel, também foi filmado durante as gravações de um álbum, nesse caso, Joanne, penúltimo disco da cantora, de 2016.

O filme mostra os dois lados de um dos maiores nomes da música mundial atualmente: de um lado, há a diva pop, cercada de fãs e com uma vida de luxo; do outro, há uma mulher, artista, que sente medo, dor e solidão como todas nós, já que o documentário foi feito logo após seu término com o ator Taylor Kinney e lançado dias após a cantora desmarcar seu esperado show no Rock In Rio, por conta das dores causadas pela fibromialgia.

Em ambos os lados, é possível ver a luta de uma mulher, tanto pelo reconhecimento profissional sem ser controlada pelos padrões da indústria fonográfica quanto pela estabilidade emocional.

Onde assistir?

– The Punk Singer está disponível na plataforma de streaming gratuita e colaborativa Libreflix.
– Gaga: Five Foot Two é uma produção original da Netflix e está disponível apenas para assinantes da plataforma.
– Os documentários Matriz.doc, Eu Vejo Névoas Coloridas e Faça Você Mesma estão em cartaz no festival de documentários musicais In-edit, que acontece anualmente, e, por conta da pandemia, este está disponível on-line. Alguns filmes estão disponibilizados de forma gratuita e outros custam apenas R$ 3,00. Além desses citados aqui, o festival conta com outros documentários muito interessantes, mas corra que ele vai só até o dia 20 de setembro.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Letícia Pataquine

Formada em Letras pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), é colaboradora do Nada Pop com pautas, principalmente, envolvendo mulheres com banda. É natural de Guarulhos, Região Metropolitana de São Paulo.