quarta-feira, 25 de novembro de 2020
Nada Pop

As 10 melhores cenas de shows produzidas pelo cinema

O cinema já representou diversos shows, centenas de artistas em apresentações musicais de tirar o fôlego, emocionantes ou simplesmente históricas! Seja com bandas ou autores interpretando, são várias as cenas marcantes, divertidas ou emocionantes que valem muito a pena ver, rever e continuar assistindo.

Aqui na redação tivemos uma ideia, que tal reunir as dez melhores cenas de shows do cinema? Tarefa árdua, com bastante pesquisa e muito cuidado para não cometer injustiças. Mas essa última parte será difícil e muita gente poderá reclamar que ficou faltando aquela, ou outra cena. Sim, reclame, dê sugestões, indique cenas que ficaram faltando. Quem sabe a gente não faça uma parte dois dessa matéria, hein? Bom, prepare os olhos e ouvidos, curta e compartilhe. Abaixo a lista produzida pela Letícia Pataquine, com colaboração de Maurício Martins.

Observação 1: É claro que estamos usando os vídeos disponíveis na internet, por isso não adianta dizer que tal vídeo é clipe e não cena. Os vídeos abaixo devem ser considerados como referência! Assista os filmes!

Observação 2: Não nos responsabilizamos por spoilers. Esteja avisado!

1. Cherry Bomb – The Runaways (2010)

The Runaways, como o próprio nome deixa claro, é a cinebiografia da primeira banda de rock formada exclusivamente por mulheres, mas foca especialmente na relação entre Joan Jett e Cherrie Currie, interpretadas por Kristen Stewart e Dakota Fanning, respectivamente.

Decisão acertada dos produtores, que inclusive conta com a própria Joan Jett na produção executiva do filme. Tanto Kristen quanto Dakota estavam em alta por conta da saga Crepúsculo, o que levou o público fã das meninas a assistir o filme e, consequentemente, conhecer a banda.

Mesmo assim, o filme não foi um grande sucesso de crítica, deixando de lado momentos importantes da história da banda – a contribuição musical da guitarrista Lita Ford, por exemplo, nem é retratada, já que a produção do filme ofereceu míseros mil dólares para Lita pelos direitos, o que ela não aceitou, obviamente. De qualquer forma, a ambientação e caracterização do filme são impecáveis e a cena da apresentação de “Cherry Bomb”, um dos maiores hits do grupo, é uma das melhores cenas de shows do cinema.

2. It Ain’t Like That – Vida de Solteiro (1992)

Nos anos 90 só se ouvia falar de grunge e comédias românticas, então porque não juntar os dois em um filme só? Foi o que “Vida de Solteiro” fez. O título original do filme é “Single”, que além de representa o lançamento de músicas de trabalho no mercado musical (como você deve já saber), casa com a ideia do filme, sobre relacionamentos.

Contando a história de seis amigos que vivem em um condomínio na cidade de Seattle, berço do grunge, o filme conta com Chris Cornell e Eddie Vedder no elenco, e a participação do Alice in Chains em uma das cenas, na qual a banda interpreta a música “It ain’t like that”, do álbum “Facelift”, lançado em agosto de 1990 (há 30 anos!!!). E se tem Alice in Chains, não tem muito como dar errado, né? A não ser que a gente leve em consideração que a trilha sonora fez mais sucesso que o próprio filme…

3. No More Mr. Nice Guy – Sombras da Noite (2012)

Sombras da Noite é uma adaptação que Tim Burton produziu de um seriado dos anos 1960, de nome homônimo em inglês, “Dark Shadows”.

O filme conta a história de Barnabas, vampiro amaldiçoado por uma feiticeira que acorda em outro século e precisa aprender a lidar com a modernidade, enquanto tenta desfazer a maldição. Estrelada por Johnny Depp, parceiro de muitas obras de Burton, o filme ficou marcado pela divertida cena, que infelizmente é bem curta, em que Alice Cooper é chamado de “mulher mais feia que eu já vi” por Barnabas enquanto interpreta “No More Mr. Nice Guy” em uma festa.

4. Cocaine Blues – Johnny e June (2005)

“Walk the Line”, que ganhou o título em português de “Johnny e June”, retrata a vida do homem de preto, Johnny Cash (interpretado por Joaquin Phoenix), mas foca no seu relacionamento com June Carter (Reese Whiterspoon), porém não deixa de falar sobre seu tempo de serviço militar, a morte de seu irmão mais velho e seus problemas com drogas. Tanto Phoenix quanto Whiterspoon cantam de verdade nessa cinebiografia.

O filme foi sucesso de crítica e venceu a categoria de ‘Melhor Filme de Comédia ou Musical’ no Globo de Ouro 2006. Johnny e June também rendeu a primeira indicação ao Oscar de Melhor Ator para Joaquin Phoenix, que só viria a ganhar o prêmio anos depois pelo filme Coringa, de 2019. Mas Reese Whiterspoon foi mais feliz, ganhou o prêmio de ‘Melhor Atriz’ pela sua interpretação de June Carter.

5. Mama/Radio Ga ga – Bohemian Rhapsody (2018)

“Bohemian Rhapsody” conta a história de Fred Mercury, vocalista do Queen, que foi interpretado por Rami Malek. A semelhança física e gestual foi tão impressionante que Malek ganhou o Oscar de ‘Melhor Ator’ em 2019 (além do Globo de Ouro, do BAFTA e do SAG Awards). Ou seja, TUDO!

Uma das cenas mais impactantes do filme é a que retrata o show da banda no Festival Live Aid, em 1985, sendo o penúltimo ano da formação original do Queen. Ali, Fred já sabia de seu diagnóstico positivo para HIV, e se entregou mais do que nunca à sua performance no palco.

Performance esta que foi maravilhosamente bem recriada por Rami e também por Gwilym Lee, no papel de Brian May, Joseph Mazzelo como John Deacon e Ben Hardy, interpretando Roger Taylor. Inclusive, existem vídeos de comparação com a cena do filme e o show original, um deles você confere clicando AQUI.

6. Set it All Free – Sing (2016)

Já faz um tempo que os filmes de animação deixaram de ser coisa apenas para crianças e, com histórias cada vez mais emocionantes, os filmes do gênero fazem muito sucesso entre os adultos também. Um desses é “Sing”, lançado em 2016, que conta a história de um grupo de animais talentosos que cantam e dançam e sonham com a fama e o sucesso.

Com muitas cenas musicais divertidas, destacamos o show da porco-espinho punk Ash, que é dublada por Scarlett Johansson. Mas essa não foi a primeira vez que Scarlett mostrou que sabe cantar além de atuar e dublar. Ela já teve alguns projetos musicais e já montou uma girl band, conhecida como The Singles, que contava com as integrantes Este Haim, Holly Miranda, Kendra Morris e Julia Haltigan. Chegaram a lançar a música Candy, que pode ser ouvida aqui. Depois teve uns problemas com direitos legais envolvendo o nome do grupo, mas isso é papo para outro momento.

7. Rock Got no Reason – Escola de Rock (2003)

Se você cresceu entre anos 90 e 2000, você cresceu sob influência da MTV e de comédias americanas e, com certeza, você pirou ao ver “Escola de Rock” (School of Rock, 2003). O filme é protagonizado por Jack Black, que interpreta um músico que se passa por um professor e aproveita para ensinar o que é o rock’n roll para as crianças da escola, rendendo uma participação do docente e seus alunos em uma batalha de bandas.

Jack Black conseguiu unir em um único filme suas duas paixões: a comédia e o rock, já que o ator é famoso por filmes do gênero e pela sua banda Tenacious D, que foi super comentada no último Rock In Rio, ao trazer para o palco o músico brasileiro Junior Bass Groovador – essa cena podia entrar em um filme também, né?

8. Help! – Yesterday (2019)

Filme dirigido pelo célebre Danny Boyle (de “Trainspotting” e “Quem quer ser um milionário?”) e muito esperado pelos fãs de uma das maiores bandas de todos os tempos, Yesterday é uma comédia romântica sobre a história de Jack Malick, um músico que, após um “bug” no espaço-tempo da Terra, passa a ser o único a se lembrar dos Beatles em todo o planeta. Usando a sorte a seu favor, o rapaz, interpretado pelo ator Himesh Patel, passa a cantar as músicas do quarteto de Liverpool e fazer sucesso com elas.

Além de nos fazer questionar se a atitude do protagonista foi correta o não, o filme emociona ao mostrar que os Beatles merecem mesmo o posto de uma das maiores e melhores bandas do mundo, com canções atemporais. Himesh, que realmente toca no filme, chegou a declarar em entrevistas que tinha medo de estragar as canções.

Mas uma outra cena merece destaque, é a mini batalha que o personagem de Himesh protagoniza com o músico Ed Sheeran (sim, o verdadeiro), que pode ser assistida aqui.

9. Duelo de guitarras – Encruzilhada (1986)

A produção mais antiga dessa lista é o filme “Encruzilhada” (Crossroads, 1986). O drama musical conta a história de Eugene Martone (interpretado por Ralph Macchio, o eterno Daniel-San, de Karate Kid, de 1984), um estudante de música clássica que ama blues e acaba descobrindo a história do lendário músico Robert Johnson e parte em busca da tal ‘Encruzilhada’, onde Johnson teria vendido sua alma ao diabo para fazer sucesso como músico de blues. Essas é uma das maiores lendas no mundo da música e Johnson inspirou diversos músicos pelo no planeta, entre eles Eric Clapton.

Mas voltando ao filme, a cena mais marcante de “Encruzilhada” (entre várias), é o duelo final de guitarras. O jovem músico Eugene precisa enfrentar o guitarrista do diabo, literalmente, chamado de Jack Butter. No caso, Jack foi interpretado pelo Steve Vai, um dos melhores guitarristas do mundo. Infelizmente, não foi o Ralph Macchio que tocou de verdade guitarra na cena, ok? Boa parte de suas dedilhadas foram dubladas por outro grande guitarrista, o Ry Cooder.

10. Phunky Budda – Legalize Já – Amizade Nunca Morre (2018)

Tínhamos que ter um representante nacional nessa lista. Apesar de ainda enfrentar muitas dificuldades, o cinema brasileiro resiste e sempre consegue se superar com produções cada vez melhores, como é o caso de “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”, filme dirigido por Johnny Araújo, que conta a história do surgimento de uma das bandas mais transgressoras do país, o Planet Hemp.

Assim como o primeiro filme dessa lista, Legalize Já! também conta a história de uma banda, mas focando em dois nomes principais de sua formação. Nesse caso, Marcelo D2 (interpretado por Renato Góes) e Skunk (interpretado por Ícaro Silva), que acabou falecendo por problemas decorrentes da AIDS, em 1994, época em que a banda começava a despontar no mainstream.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Letícia Pataquine

Formada em Letras, fala sobre livros no Instagram, reclama no Twitter e faz listas e resenhas como editora do Nada Pop.