segunda-feira, 21 de setembro de 2020
Nada Pop

Psicodelia Temporal

Abri um saco de lixos recicláveis na esquina do final da rua e encontrei um monte de papéis picados, amassados com verdades escritas dentro…

Não tem estudo que comprove, não tem diagnóstico que sustente, não tem pesquisa que dê conta dos nossos dias. A realidade no tempo atual é fluida. Ouso dizer que não é humanamente processável.

Avanço tecnológico se tornou monólogo de banqueiro. É grave o quadro de saúde do mercado financeiro.

A proliferação das informações é viral.

A psiquê sofre por não conseguir acompanhar o ritmo de propagação do capital especulativo.

A notícia que vem do outro lado do mundo chega aqui de dia, quando lá já é noite de uma realidade completamente diferente do que era ontem.

Dias, horas, anos se sucedem como psicodelia temporal.

O presente é uma sucessão de publicidades que se alternam no quadro de um mini outdoor eletrônico de um ponto de ônibus qualquer.

Atualmente, a vida é o que menos importa.

O otimismo é irrelevante e pífio. O apolítico é elegível. O antissistêmico é na prática a própria lei.

Relevante ou irrelevante? “Tempo é dinheiro” e por descuido, num lapso de tempo, você decidiu alçar o risível ao status de verdade e reivindicação. Rashtags, trending topics, memes, lives e podcasts, etc.

A novidade é a retaguarda. A vanguarda do passado é a cara da derrota atual e ainda sonha com uma máquina do tempo.

Fim.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Giuliano Mascitelli

Jornalista fracassado e vocal da banda punk Lata do Lixo da História. Escreve textos curtos, crônicas e poemas de qualidade duvidosa.