segunda-feira, 9 de março de 2020
Nada Pop

Uma boa cerveja, The Velociraptors tocando e eu aqui pensando quando vou morrer

Existem momentos da vida que só quero tomar umas, ouvir um bom som e ficar pensando na morte que chegará triste e lentamente para todos nesse mundo… Às vezes, penso na vida também, mas do jeito que as coisas andam, penso cada vez mais em pegar uma grana com agiotas, viajar o mundo e gastar tudo com farra e depois voltar e deixar ele me matar… Mas calma, vamos deixar essas brincadeiras mórbidas de lado e falar do álbum ‘Road to Shangri-La’, da banda de Mossoró, The Velociraptors, no Estado do Rio Grande do Norte.

Se você gosta de Hellacopters, Stooges, MC5, New York Dolls, com certeza irá saborear um disco que viaja bastante, principalmente para Nova York dos anos 1970, com guitarras distorcidas e uma pegada rock and roll que remete aos clássicos, mas sem querer ser um clássico, saca? Essa é a diferença entre imitação barata e homenagem. De acordo com o release da banda, por meio do selo Dinamite Records, com quem já tive uma treta pessoal, mas que resolvemos nossas diferenças pessoais com muito sexo e palavras de baixo calão (delícia!!), ‘Road to Shangri-La’ é o primeiro full do grupo em 6 anos, sendo precedido pelos singles de “Nightmare” e “All Night Long”, que constam no novo disco.

No dia 15 de março o Hellacopters se apresentam no Órbita Bar, em Fortaleza. O grupo The Velociraptors faz parte do show de abertura.

“Nightmare”, inclusive, é uma daquelas faixas para se embebedar e se afundar – literalmente – em uma mistura de tristeza, com alucinação e êxtase. Doideira, né? Ouça para conferir o que tô dizendo. Com dez faixas, o disco consegue fazer uma boa variação entre dançante, delirante e intimista. Com certeza uma banda com um futuro promissor com viagens ao passado que remetem muito ao nosso presente. Destaque também para as faixas “All Night Long”, “I’ve Sold My Soul”, “Another Sun” e “49% motherfucker 51% Son of a Bitch”.

Voltando a falar do Hellacopters, o The Velociraptors conseguiu uma façanha. Irá abrir o show dos  suecos aqui no Brasil, no dia 15 de março, no Órbita Bar, localizado em Fortaleza. Isso com certeza aumenta o valor de passe do grupo, que demonstra estar mais do que preparado para esse show. Vale citar a formação da banda, que no caso é um power trio com Phillipe (guitarra e voz), Renato (contrabaixo) e Gil (bateria).

Links da banda: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify

OBSERVAÇÃO: Para não ter qualquer dúvida, o trecho mencionado sobre o tal “sexo” com o selo Dinamite Records foi uma brincadeira interna. Coisas da vida, brigas podem ser resolvidas ou não, mas quando há diálogo e compreensão, as chances de se resolverem é maior. Não levamos nada dessa vida, por isso, enquanto a gente puder fazer mais amigos do que inimizades, talvez a gente tenha uma vida e, quem sabe, um cenário muito melhor do que hoje. Não é “pagar simpatia”, mas de respeito e valorização do trabalho um do outro. É isso, me paguem bebidas. Beijo!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, editor e fundador do Nada Pop. Um dos organizadores do tributo ao SUB e apresentador do podcast Arte Inflama. Siga no Instagram: @nxdapop