segunda-feira, 21 de setembro de 2020
Nada Pop

Pense realiza show da tour em SP numa noite caótica e histórica

É o teu estado de espírito ou estado de vida que te conduz a uma vida cheia de significados, ser o responsável pelas derrotas, angústias, sucessos e vitórias faz parte do drama da vida. Normalmente ausentar-se dessa responsabilidade pode lhe causar uma sensação de conforto, mas ela é temporária, pois não faz parte de uma verdade. Justificar o fracasso por conta das péssimas estruturas sociais públicas (escola, trabalho, saúde e segurança) é o mesmo que se vendar e andar a beira do precipício. Você é maior do que tudo isso e pode produzir muito mais do que apenas consumir ao que te induzem. Resumidamente e humildemente, tentei transmitir o recado dado no show do Pense na Tour DVD 2016, com abertura do DPR – Do Protesto à Resistência, Same Flann Choice, Black Days e Orgânico. A realização do evento foi do Rock Together Studio, no dia 16 de julho, na Clash Club.

Black Days e Orgânico são duas ótimas bandas, mas daquelas que ao vivo surpreende, ainda mais, vale conferir. Já o Same Flann Choice, deixou a galera no ponto, com a casa enchendo o cenário estava ficando perfeito para o caos.

Ao vivo, foi a primeira vez que escutei DPR, e não poderia ter sido em outro momento, às vezes é bom guardar a empolgação para o “show principal”. Bom, sempre achei isso besteira e vi que a galera presente não estava a fim de se poupar, prova disso foi uma roda de bate cabeça terrorista, motivada pelo peso nos instrumentos, além dos dois vocais parceiros, em ótima harmonia. A música de protesto foi apresentada sem censura, ao contrário, foi cantada aos berros exprimindo da alma a revolta pelas vergonhosas políticas públicas que privilegiam apenas uma camada da sociedade.

E o mais aguardado, causando um frenesi extremo ou sei lá o que possa definir foi o Pense no palco. Com uma introdução com trechos de áudio do documentário “Eu Maior” (www.eumaior.com.br) começaram os mosh pit, gritaria, canto em coro… Enfim vai ser difícil descrever, mas o quinteto de Belo Horizonte transformou a Clash num inferno com labaredas de fogo proporcional a energia que estavam recebendo do público. Por outro lado, a banda só marretou melodias com máxima velocidade, numa sequência de canções entoadas uníssonas. Até chegar o “boa noite, nós somos o Pense de BH”, não houve sequer uma pausa. Eram sempre dois ou três jovens se jogando do palco juntos, uma roda que abria e fechava. Mesclando ainda o áudio desse documentário, a participação da Mariana Watanabe do Projeto 2005, na música Seguro Demais, foi o que chamaram de “descanso”, mas nada que tirasse a energia juvenil do local e a vibe criada. Dali ao fim, outras músicas e espontaneidades que apenas um show de hardcore causam foi presenciado. Por fim, ao encerramento da última música foi unânime o biz, pedido feito e atendido! Foi um show histórico da banda em SP, poderia ter sido a gravação completa do DVD, garanto que não decepcionaria em nada.“Viva como se houvesse um final”.

*Sobre o DVD: a gravação ocorreu no dia 2 de maio, de 2015, no Inferno Club, o áudio capturado já esta disponível em algumas plataformas. Porém o trabalho completo vai ser lançado posteriormente, pois durante essa tour estão sendo feitas imagens e recolhimento de depoimentos que irão compor um DVD, não apenas do show, mas da história da banda.

Orgânico: https://soundcloud.com/org-nico-939951585
Black Days: http://www.blackdays.com.br/
Same Flann Choice: http://sameflannchoice.bandcamp.com/
Do Protesto à Resistência: https://www.facebook.com/DPR412r
Pense (áudio DVD): https://pense.bandcamp.com/

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Bruno Palmito

Skate, kombi, shows, acampar e cerveja deixam-no mais perto daquilo que ele define como felicidade, se a trilha sonora for Punk Rock/Hardcore com pitadas de Ska, é um breve resumo da perfeição nessa vida. A música é a manifestação ideológica do sujeito, acredita Palmito.