terça-feira, 22 de setembro de 2020
Nada Pop

Nada Pop Recomenda #001 – The Gap Year, Crise Mental e Garrafa Vazia

Nessa primeira edição do Nada Pop Recomenda falamos das bandas The Gap Year, Crise Mental e Garrafa Vazia. Que o independente esteja com você!

The Gap Year
www.facebook.com/thegapyearband

Há tempos que estávamos para falar desta banda aqui no Nada Pop, com a inauguração desta coluna chegou a hora e o lugar certo para isso. Parece que atualmente uma grande parte das bandas desistiu do lançamento de full álbuns para investir no lançamento de singles.

Particularmente, acredito que um álbum cheio ainda tem muito mais força e é capaz de transmitir melhor o que uma banda tem a dizer. Muitos dizem que o consumo da música pelo público mudou e que a consequência natural agora é o lançamento de uma, duas ou até três músicas por uma banda em determinados períodos, renovando a divulgação e com mais chances de atrair atenção e público. Pode ser, vide o mais recente caso do Dance of Days que, no total, lançará quatros EPs e que juntos formarão um álbum cheio. Vamos falar deste assunto, com análises mais profundas, um pouco mais adiante.

Mas o que podemos fala do single “7 Work Days”, da The Gap Year, é que será impossível ouvir este som apenas uma vez sem querer coloca-la para tocar novamente. Essa pequena mostra do som da banda nos deixa curioso para conhecer o grupo, nascido em São Paulo. O que ele poderá nos apresentar futuramente é uma incógnita. No entanto, com influências de The Bouncing Souls, Millencolin e Rancid, vale a pena acompanhar a banda e ficar ligado em seus novos lançamentos, esperamos que seja logo. Ah, não posso esquecer de dizer que a “7 Work Days” pode ser ouvida AQUI.

Crise Mental
www.facebook.com/CriseMental

Em uma das canções da Crise Mental existe a seguinte frase: “Olhe pra mim escute bem o que vou dizer, não vou deixar esse sistema me fuder”. É assim que a banda mostra sua força, o “faça você mesmo” em sua essência dando as caras e mostrando que gravações de boa qualidade são importantes, mas que nem sempre trazem consigo alguma a coisa a dizer.

Você pode achar a gravação da banda tosca, que os vocais estão quase que inaudíveis, mas não diga que você não reconhece na guitarra, baixo e bateria a presença de Cólera, de Olho Seco e Gritando HC. Eles fazem do jeito deles, da forma que a periferia de Osasco ensinou e acreditam no punk rock não só como música, mas como um ideal de transformação social. Não são punks de aparência, ao contrário, levam o punk como filosofia de vida. Visite a página deles no Facebook e confira, clique AQUI. Usam a internet para propagar suas músicas e contribuir com o cenário independente, mas também usam de outras mídias. Recentemente divulgaram o lançamento de um fanzine, de nome homônimo ao do grupo. Se você acompanha o Nada Pop, já sabe que somos bem fãs desse tipo de cultura fanzine.

A sua força e incentivo podem contribuir em muito para a continuidade da banda, mas acho que eles tocam o foda-se pra isso e acredito que irão continuar de qualquer forma. No entanto, vale a visita e ouvir o som. No bandcamp do grupo – ouça AQUI – você encontra um material que foi totalmente editado de gravações de ensaio, tudo feito pela banda. Gostando ou não, ignora-los pode não ser uma opção.

Garrafa Vazia
www.facebook.com/GarrafaVazia

Das duas bandas que citamos acima, a Garrafa Vazia é, de longe, a mais experiente dessas recomendações. A Garrafa Vazia surgiu em 2009 na cidade de Rio Claro, interior de São Paulo. A formação atual da banda conta com Herbert (guitarra e vocais), Vadio (bateria) e Mário Mariones, que além de baixista, podemos dizer que é o líder do power trio de punk rock.

Entre as bandas que os caras já dividiram os palcos estão o Olho Seco, Ratos de Porão, Cólera, Garotos Podres, Excomungados e até GBH e Biohazard. Além disso, participaram de coletâneas gringas e nacionais, ao lado de bandas como Flicts e Blind Pigs. Ou seja, os caras possuem muita história pra contar. Como eles mesmos se definem, “três caboclos perdidos no interior, entre o mato e o asfalto, três irmãos desbravando o anárquico bailão da destruição!”.

Se você já conhece a banda e gosta dos caras deve estar pensando algo do tipo: “Pô, por que não fazer uma matéria especial só os caras?”. Sim, em breve, beleza? Mas se você não conhece a banda, considere a seguinte recomendação: ouça a música “Cirrose”. Um verdadeiro hino do punk rock cachaça. Impossível não curtir.

Neste ano os caras lançaram o “Greatest Shits”, que reúne outros álbuns da banda e algumas faixas bônus. A maravilhosa arte de capa do álbum é, pelo menos pra mim, uma obra-prima do punk, mostrando toda a ironia do trio logo de cara. O álbum completo está disponível no Youtube, para ouvir é só apertar o play abaixo. Não deixe de curtir a banda depois.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, editor e fundador do Nada Pop. Um dos organizadores do tributo ao SUB e apresentador do podcast Arte Inflama. Siga no Instagram: @nxdapop