domingo, 22 de Abril de 2018
Nada Pop

Zezagerado: neologismos e novos grooves na roça!

Troquei um lero com o José Roberto, o Boy, batera dos bons!

Que joga pro time, valoriza a canção, friend da elegância.

Pra você ter uma ideia, a fera já tocou com:

Mestre Redson, Clemente, Ari do 365, e fez várias turnês pelo Brasa.

Boy tem estrada tem rodagem.

E sempre persegue o novo, a desconstrução que inaugura novas miríades de possibilities.

Em seu novo projeto intitulado “Zé”, ele busca:

Revitalizar a língua em neologismos marotos.

Fazer um mash up de grooves, invenção pra-que-te-quiero.

Trazer guitarras de zappa ao nação zumbi, botar a turma pra dançar – e principalmente pensar na questão do nosso cotidiano, de forma existencial pero no pedante.

“Zé” somos todos nós.

E o Zé da letra de Zézagerado é enredo prático do eterno errante.

O cara montanha-russa, que ora na merda ora na glória, esta aí  – se fudendo e vivo, disposto a pagar o preço e encarar com força máxima a brincadeira perigosa conhecida por existência.

Gravado no Estúdio Válvula 9, em Hell Claro, com os comancheros Andrey Bianchini e Alonso “Low” Goes (que já tocou com Cólera, Periferia S/A, 365, além de trampar com produça, técnico de som- e ter uma baita bagagem) Zézagerado é uma boa música pra você curtir por aí, com a turma ou alone, no carango ou no conforto do lar, no cooper ou no buteco do Big Barbosa.

Enfim, dispare o play e confira!

Bela arte minimalista (cortesia do xerife Andrey Bianchini), não?

Boi-zé – então dê um jóinha aqui na page do truta e veja de perto as novidades, vem o ep por aí, logo-logo!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Mário Mariones

Nascido na roça, roqueiro, escritor, fliperama pirata do Street Fighter II, café sem açúcar, Cinema Paradiso, linhas de Kerouac, Copa 90, rolêzão de bicicreta com a Stephanie Guardia e o Ramone e baixista e frontman do Garrafa Vazia, rock paulera pra todas as idades.

%d blogueiros gostam disto: