quinta-feira, 24 de Maio de 2018
Nada Pop

Versus Mare: Recomeço, aprendizado e muita música

Existem bandas que já nascem “grandes” e com experiência de estrada. É o caso da Versus Mare, banda formada por remanescentes da extinta Jack’s Revenge e que inclui em sua formação integrantes de outras bandas e de outras histórias.
Com Gui Nascimento e Adonis Guerra nas guitarras e vocais, Romulo Oliveira na bateria e Ricardo Rafael no baixo, a Versus Mare lançou no dia 27 de junho a música “Paraquedas” como apresentação da banda. É possível perceber no single do grupo um pouco do axioma do poeta Ferreira Gullar, onde diz que “a arte existe porque a vida não basta”.
Nascida em março deste ano e oriunda do município de Diadema, a Versus Mare possui influências que vão do rock alternativo, surf music, folk e até do punk rock. Ainda é muito cedo para avaliar a banda apenas por uma música, mas é possível destacá-la no cenário devido a competência e qualidade de seus integrantes em projetos passados e atuais.
Para descobrir um pouco do que está por vir e saber mais de cada integrante, conversamos com o grupo e reproduzimos abaixo esse bate-papo. Esperamos que você curta e tire suas próprias conclusões sobre a banda ao ouvi-la.
Nada Pop entrevista Versus Mare
NADA POP – Gostei do nome da banda, achei sonoro e bonito, ao mesmo tempo, em minha mente veio a frase “lutando contra a maré”. É isso mesmo o que significa o nome da banda ou existe uma outra origem?
VERSUS MARE – A ideia do nome é mais ou menos essa mesmo, embora nenhum de nós seja versado em latim a intenção era algo que girasse em torno dessa coisa de “enfrentar o mar”. Não sabemos se está 100% correto, mas gostamos da sonoridade. Enfrentar o mar é meio que uma metáfora para os altos e baixos da vida. Afinal, tomar o leme da própria existência é como navegar em alto mar; tanto se pode trilhar um caminho sereno e calmo, quanto de uma hora pra outra, se ver no meio de uma tempestade.
NADA POP – Quando ouvi o primeiro single da banda, intitulado “Paraquedas”, senti uma pegada rock com um pé na MPB. É possível dizer que os próximos sons da banda irão vir nesta pegada também? 
VERSUS MARE – A Versus Mare é uma porta aberta para incontáveis possibilidades e experimentalismos. O rock é a nossa base e acredito que sempre será, não nos vemos enveredados nos caminhos da MPB, mas “ter um pé nesse gênero” como você citou, acaba sendo a consequência das diferentes coisas que ouvimos, seja MPB, folk, rock ou tantos outros ritmos. Por enquanto é difícil dizer com certeza qual vai ser a nossa pegada porque estamos começando a trabalhar as primeiras músicas. O que sabemos é que vai ser uma grande e gratificante experiência para todos nós, pois é um trabalho feito a quatro mãos e cada um está trazendo muita coisa boa.
NADA POP – A letra da música “paraquedas” é praticamente um poema. A composição é de alguém específico da banda? A ideia é que todas as letras sejam em português também ou a proposta do grupo encontra-se aberta nesse sentido?
VERSUS MARE – A letra foi escrita pelo Gui Nascimento que se influencia muito em poesia para escrever música. Essa valorização do lado poético das letras vem desde os tempos da Jack’s Revenge, que musicou “Ismália” do poeta Alphonsus de Guimaraens. Temos em nosso repertório letras em português e em inglês.
NADA POP – Especificamente para o Gui Nascimento e o Adonis Guerra, como ex-membros de uma banda como a Jacks’s Revenge, que chegou a tocar em vários lugares e com várias outras bandas, o que vocês poderiam destacar como principal diferença entre a Jack’s e a Versus Mare? O que ficou de aprendizado com o fim da Jack’s e qual a relação de vocês com os outros ex-membros da banda.
GUI NASCIMENTO – Como já dissemos ainda é um projeto muito novo. Muitas músicas da Versus Mare pertenciam ao repertório da Jack’s Revenge. Há, no entanto, um amadurecimento musical nestas canções mais recentes. Acreditamos que se a Jack’s Revenge não tivesse acabado essas musicas seriam a continuação, ou o amadurecimento da banda. É difícil falar em diferença entre um projeto e outro. Quem vê de fora talvez enxergue com mais nitidez e julgue a Versus Mare um pouco menos pesada do que a Jack’s Revenge. Mas isso só o tempo e as próximas composições dirão. Nossa relação com os outros ex- membros da Jack’s sempre será o de amizade e respeito.
NADA POP – E os próximos sons da banda? Existe previsão de lançamento? Muitas bandas estão se lançando desta forma, lançando uma ou duas músicas ao invés de um álbum cheio. Temos como exemplo a banda The Gap Year e a Blear nesse sentido. Por que vocês acreditam nessa forma de lançamento?
VERSUS MARE – Pretendemos entrar em estúdio em breve para gravar um EP com mais ou menos 5 músicas. Ainda não há previsões de lançamento, pois ainda estamos trabalhando as músicas antes de entrar em estúdio pra gravar. Quanto a lançar uma ou duas músicas, acho que isso se dá devido ao modo de se consumir musica que mudou totalmente com a internet. A gente pretende lançar um álbum inteiro futuramente. Por enquanto o maior problema é o custo mesmo.
NADA POP – Onde o single foi gravado? Como andam os shows e como anda a cena de Diadema atualmente? Quais são as outras bandas que vocês curtem daí e recomendam?
VERSUS MARE – O single foi gravado no Estúdio 1100, em Diadema. A cena local está precisando de novo fôlego, pretendemos dar as caras na organização de eventos por aqui. Apesar do marasmo há muitas bandas boas como La Esperanza de Los Malditos, Os Surfistas do Vinil, Shimbaus Trio, Amarelo Ouro, entre outras. Por enquanto não há datas marcadas, mas estamos no corre pra agendar shows em breve.
NADA POP – No release da banda vocês informam que o single “paraquedas” é acompanhado de duas faixas. Elas se chamam “Abre Essa Janela” e “Broken Watch”. Onde a galera encontra essas músicas?
VERSUS MARE – Essas faixas serão lançadas nas próximas semanas. Estamos fazendo um suspense, haha. É só ficar ligado na página do Facebook ou no Soundcloud que em breve soltaremos essas faixas. Também teremos o single em formato físico que será vendido apenas nos shows.
NADA POP – Digam pra gente, qual o melhor álbum para se ouvir durante uma viagem de barco ou navio?
VERSUS MARE: O álbum Curtains, do John Frusciante
NADA POP – Ao invés de um álbum ou banda, qual trecho de música resumiria o sentimento de cada um dos integrantes em relação a vida?
GUI NASCIMENTO
Borboletas da banda R.Sigma:
Compreender
Todas as coisas que o olho não pode enxergar
Compreender
Todas as coisas que o verbo não pode ditar
 
Ouça AQUI.
ADONIS GUERRA
Don’t Worry, Be Happy do Bobby McFerrin:
“Woo-oo-hoo-hoo-oo hoo-hoo-oo-oo-oo-oo-ooo Don’t worry. Woo-oo-woo-oo-woo-oo-ooo Be happy. Woo-oo-oo-oo-ooo Don’t worry, be happy.” 
 
Ouça AQUI.
RICARDO RAFAEL
Respeito é a Lei da banda Rancore:
Ouvir, perceber, sentir e entender
Que a verdade se esconde atrás dos ideais de ser
Não vivo a esperar, chegou a minha vez
Respeito é a lei
A única para viver
 
Ouça AQUI.
ROMULO OLIVEIRA
Sobre alma, essência e equilíbrio da banda Suerte:
Buscar respostas no meu interior
Filtrando a luz que me faz ser quem eu sou
E descobrir os meios de ficar em paz com minha alma.
Livre pra escolher.
Livre pra acreditar.
 
Ouça AQUI.
NADA POP – Já que todos os integrantes já tiveram ou têm experiências com outras bandas, qual o principal conselho que vocês podem dar para quem quer montar uma banda e o que vocês gostariam que tivessem dito para vocês?
VERSUS MARE – Toque o som que você gosta, não o que está na moda. Isso vai evitar muitas decepções. E sobre o que gostaríamos que tivessem nos dito: que para cada pessoa bem intencionada no underground existem outros dez oportunistas envolvidos nas organizações de shows.
NADA POP – Encerro agradecendo a todos pelo papo e desejo que a banda tenha muitos anos de vida. Estamos à disposição de vocês e deixamos o espaço para que vocês deixem uma mensagem para o público do Nada Pop. Valeu! 
VERSUS MARE – Obrigado Maurício e Nada Pop pelo espaço.
Gostaríamos de agradecer a todos os amigos que estão nos ajudando nessa caminhada. Estamos bem empolgados para lançar mais músicas, colocar o pé na estrada e tocar no máximo de lugares possíveis.
Nos acompanhem nas redes sociais que vem muita coisa nova por aí.
Força na escalada!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: