terça-feira, 18 de dezembro de 2018
Nada Pop

The Julie Ruin, massacre de Orlando, mulheres no rock e coisas de banda independente

PRECISAMOS FALAR SOBRE O MASSACRE DE ORLANDO (FLÓRIDA, EUA)
Tenho observado as reações das pessoas nas redes sociais e percebi como a expressão “dois pesos, duas medidas” faz sentido nesse caso. Claro que há comoção diante da tragédia na balada LGBT, mas não se compara às inúmeras lamentações sobre o atentado que aconteceu em Paris, no ano passado, por exemplo. Não esqueço do meu feed cheio de fotos com aquele filtro com as cores da bandeira da França, das hashtags, dos compartilhamentos. Dessa vez, muita gente orgulhosa de sua heterossexualidade e de sua “família tradicional” se calou. A internet é o alto-falante do discurso de ódio!

Sobre essa comoção/indignação seletiva, só fico pensando ATÉ QUANDO vamos segregar pessoas e tocar a vida como se todo esse ódio não fosse responsabilidade nossa. Um artigo do Democratize debate essa questão e joga na nossa cara: “A culpa também é sua, cidadão de bem”!

massacre_orlando

THE JULIE RUIN
Enquanto o álbum novo da banda liderada pela ~maravilhosa~ Kathleen Hanna, intitulado “Hit Reset”, não sai (o lançamento está previsto para 8 de julho), vale conferir o lyric vídeo da faixa “I Decide”, que começa destruindo logo pelo título.

TheJulieRuin_LP1

The Julie Ruin – Banda liderada pela Kathleen Hanna

PLAY LIKE A GIRL
A página Queens of Scream dá a maior força para as minas brasileiras do metal e do hardcore. Rolam vídeos, compartilhamento de matérias especiais, agendas das bandas e campanhas, como a “Apoie as minas do underground”.

NOSTALGIA NO INSTAGRAM
O designer gráfico sueco Ulf Hammarkärr decidiu colorizar fotos em preto e branco da cena do punk/hardcore dos anos 80, de lugares como Washington D.C., Nova York e Califórnia (EUA). As imagens de bandas como Youth of Today, Fugazi, Minor Threat, Chain of Strength e Crippled Youth estão disponíveis no Instagram do artista, com o bônus de outras figuras, como Johnny Cash.

no_instagram

Instagram do designer gráfico sueco Ulf Hammarkärr.

NOVA ERA MUSICAL
Muito legal que, agora, a Academia Nacional de Artes e Ciências da Gravação – associação que concede o Grammy – irá considerar lançamentos feitos via streaming para a premiação. Estão valendo plataformas por assinatura, por demanda ou por download, como Soundcload, Spotify, Apple Music, Tidal, entre outras. Leia mais AQUI.

“ARRAIÁ DAS CAUSA” AMANHÃ, EM SÃO PAULO (18 DE JUNHO)
Esse é o nome de uma festa junina que reunirá coletivos, instituições e grupos com responsabilidades sociais. Uma das atrações são as minas do Girls Rock Camp Brasil/Ladies Rock Camp Brasil, que promoverão uma “pescaria” com ilustras, fotos, colagens e outras artes só de minas para ajudar na renda dos acampamentos. Dá uma olhada no evento do Facebook!

COISA DE BANDA INDEPENDENTE
O Update or Die publicou um videocase da “Out of the Blue”, uma banda de Limeira/SP, que usou uma estratégia diferente para ganhar espaço e visibilidade. Essa correria toda envolve uma turnê na Califórnia/EUA e a produção de três cervejas com rótulos personalizados.

O que vocês acham disso tudo, galera que tem banda?

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Bruna Neto

Jornalista formada pela Universidade Metodista de São Paulo, feminista, orgulhosa por residir na cidade de Santo André e admiradora de toda a cena independente do ABC.

%d blogueiros gostam disto: