segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
Nada Pop

Show em comemoração aos 40 anos do Movimento Punk e a volta do AI-5

A volta do Ai-5. Da esquerda para a direita: Fábio Rodarte, Memmeth Pesteaux, Fausto Celestino e Marcelo Ladwig. Foto: Wladimir Raeder

Conforme narrado algumas vezes em entrevistas, e também em um dos documentários mais importantes, o “Botinada”, a primeira gig punk ocorreu em São Paulo (SP) numa padaria abandonada e contou com apresentações das bandas Restos de Nada e AI-5, gig esta organizada pelo saudoso Kid Vinil. Fora a escuridão total, ocorreu também uma invasão sonora nos cérebros dos punks presentes, fora a poeira total.

O AI-5 surgiu no começo de 1978, antes Fausto e Rato tinham uma banda chamada Kaus, a inspiração sonora veio das bandas de punk rock como Sex Pistols, Ramones, Dead Boys, Uk Subs etc… Em fevereiro de 1980 a banda se reuniu para gravar rusticamente uma fita K7, que durante alguns anos circulou de mão em mão. Este único registro da banda que detém uma importância histórica e singular, foi masterizada e lançada no formato de CD pela Baratos Afins, de Luiz Calanca, neste ano de 2017, ano que se comemora mundialmente 40 anos de Movimento Punk.

Flyer do show no Sesc Pompeia, no dia 24 de novembro. Show do AI-5 e Restos de Nada

O SESC Pompeia junto com Mateus Mondini, da gravadora Nada Nada Discos, fez um festival para comemorar essa data emblemática juntamente aos 35 anos do lendário festival “O Começo do Fim do Mundo”, organizado por Antônio Bivar e Callegari em 1982. Em um dos dias, 24 de novembro, ocorreram essa dobradinha, AI-5 e Restos de Nada. Uma noite histórica com duas ótimas apresentações e casa cheia, participações de Régis Tadeu e Indião, da banda Hino Mortal e Condutores de Cadáver. Encontros de gerações punks e a constatação que não só o Movimento Punk está vivo, como o faz cada dia mais necessário.

Nossos instintos continuam a desfilar diante à barbárie, pois o que não faltam são razões necessárias para nosso inconformismo.

AI-5 voltou.
Êra Punk…

Público no Sesc Pompeia no dia do show do AI-5 e Restos de Nada.

Fausto Celestino (guitarrista):

“24/11 marcou a volta do AI-5. Foi sensacional dividir o palco com Restos de Nada, revivendo o primeiro show punk, 39 anos depois. Gostaria de agradecer ao Mateus Mondini, da Nada Nada Discos, pelo convite para participar dessa festa inesquecível dos 40 anos de punk. A banda está poderosa e vem novidades por aí. Obrigado ao pessoal que esteve no Sesc.”

Memmeth Pesteaux (vocalista):

“Nasci no RS e moro em SP há uns cinco anos. Estou no Punk desde os anos 1980 e para mim o SESC Pompeia é um lugar mítico por motivos óbvios. Foi minha primeira vez lá e desde a passagem de som até a hora de partir senti na pele a emoção que verte daquele reduto cultural, além de ter a imensa honra de conhecer caras como Moreno, Clemente, Callegari, Tina, Ariel, Régis Tadeu, Mateus Mondini, Calanca e tantos outros que dispensam apresentações. Tudo transcorreu da melhor forma, camaradagem entre as bandas, som impecável, tremenda estrutura e o mais importante, um público sensacional, a quem agradeço de coração. Evento digno da data celebrada. Foi o show de minha vida”.

Marcelo Ladwig (baterista):

“Dia 24/11/17 entrou para a história do rock, mais especificamente do punk rock, sendo comemorados os 40 anos do movimento no Brasil, além de marcar a volta aos palcos após 38 anos, da emblemática banda AI-5. E pra mim, pessoalmente, foi uma satisfação gigante participar como baterista da nova formação do AI-5. Uma energia incrível trocada por banda e público do início ao fim do show. Na minha perspectiva não poderia ter sido melhor. Sem contar que ainda teve Restos de Nada fechando a noite. Simplesmente memorável”.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Fábio Rodarte

Fábio Rodarte é colaborador do Nada Pop e integrante da banda Kaos 64.