segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
Nada Pop

Resenha: “Acorde para a realidade” do Downhatta é tecnicamente impecável

Capa do “Acorde para a realidade”, do Downhatta.

“Acorde para a realidade”, primeiro full do trio paulistano Downhatta é daqueles álbuns que quando você decide levar pra casa já o faz na certeza de que está adquirindo um produto de extrema qualidade. A arte da capa, trabalho lindo do artista Leandro TOG Leite já causa a primeira boa impressão. Trampo caprichado, cheio de detalhes, cujo charme da apresentação em formato digipack faz bater forte aquela vontade de ver maior, embalando um vinil 12′, e é um retrato fiel do conteúdo sonoro que abriga.

Um segundo motivo pra auxiliar na decisão de que esse é um álbum vale a pena ouvir é o crivo do mago Heros Trench, do estúdio Mr. Som, responsável pela mixagem e masterização do disco, que costuma levar o nível da brincadeira lá pras alturas. Não contente, vire o CD e veja na contracapa a quantidade de selos e distros que apostaram suas fichas nesse trabalho. São nada menos do que 13 selos. Isso mesmo, 13 selos dando aval a obra de Antônio (voz e guitarra), Luiz (baixo) e Dinho (bateria). Aí amigo, é só partir pro abraço. Ou melhor, pra porrada!

Downhatta recebe apoio de 12 selos!

Gravado no Estudio Hardcaos, a frenética fábrica de som pesado paulistana, o álbum traz 14 faixas, sendo 11 delas inéditas e três regravações (Hipnoses da Nóia, Contra o Império Americano e Morte no Sudão) do primeiro EP do grupo, e apresenta um som vigoroso, com influências que variam do hardcore ao trash metal, com aquela passadinha pelo grindcore e uma pitada de death metal, sem deixar de fora uma bela gritaria furiosa a la Max Cavalera nos anos dourados. Difícil de imaginar, né? Pois então, não dá pra explicar, tem que ouvir.

Tecnicamente impecável e com timbres escolhidos a dedo, a banda nos conduz por uma viagem turbulenta pela realidade do povo oprimido, o caos social e político, o vício e a violência, tendo na revolta absoluta com o mundo ao redor um fio condutor e na agressão sonora sua válvula de escape.

Um dos destaques do álbum, a faixa “Vida Suicida” conta com a participação de Marcelo Pompeu, do Korzus, nos vocais. Além de Pompeu, também participam da obra André Hirota, Tiago Santana (Maldita ambição), Imminent Chaos, Ódiosocial e Mollotov Attack. Também não dá pra deixar de mencionar “Foda-se o sistema”, com um wha-wha malandrão na guitarra.

E agora vamos aproveitar a chance de tirar o discurso de união do armário e colocá-la em prática, divulgando aqui os selos e distros que apoiaram o Downhatta nesse lançamento e seus respectivos contatos. Unidos somos mais fortes. Sempre.

Microfonia: http://www.microfonia.net
Karasukiller: http://www.karasukiller.com
Distrozombie: https://id-id.facebook.com/DistroZombie
Terceiro Mundo Chaos Discos: http://www.terceiromundochaos.com.br
Tortura Hardcore: https://soundcloud.com/thchardcorepunk
Bagaça Records: http://bagacarecs.blogspot.com.br
Brothers of Metal: https://www.facebook.com/brothersofmetalbaixadasantista
Manaós Distro: https://manaos-distro.minestore.com.br
Back on Tracks Records: http://www.backontracks.net
Break the Silence: http://www.breakthesilencerecords.com
Give Praise Records: https://store.givepraiserecords.com
Estudio Hardcaos  e Humanocaos distro (que não possuem links – ainda)

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Wagner Cyco

Wagner Cyco é guitarrista das bandas Mollotov Attack e Irmã Talitha, além de exímio guitarrista reconhecido pelo seu trabalho.