quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Nada Pop

O stoner rock paulistano da banda Mary Chase

marychaserock_np

Capa do álbum “Electric Dog Walk”, da banda Mary Chase

Texto por Julio Cesar

Pra começo de conversa, antecipo que não farei um release “faixa por faixa”. Vou explicar o motivo.

Acredito que nos cabe ouvir todo o álbum para conhecer o trabalho de uma banda que está batalhando no underground e, além disso, como toda forma de expressão artística, interpretá-lo segundo nossas experiências, visões, gostos e conceitos, presando mais pela subjetividade que nos cabe do que por um “manual” ditado por este que vos fala.

Tive a grata surpresa de pegar logo de cara o novo disco da banda paulistana Mary Chase, “Electric Dog Walk”. Confesso que, ao entrar no Bandcamp do grupo para a audição achei que estava me metendo numa furada. O visual repleto de rosa e preto num estilo que, para mim, rememora o Glam/Hard Rock assustou e o sentimento de me deparar com o nonsense tomou conta dos meus pensamentos.

Passado o choque inicial, dei o play e…. CARALHO!!!!!

A primeira faixa, Galaxy, já dá um belíssimo cartão de visita para o ótimo stoner rock feito pela banda! Para situá-los, a semelhança com as gringas Queens of The Stone Age (maior expoente do estilo), Truckfighters e com a brazuca Circus Boy dá uma ótima memória auditiva para o ouvinte e apreciador do estilo.

Como todo bom stoner, o som é sujo, as distorções são bem pesadas e as variações de solos e riffs trazem um bom ambiente sonoro que nos faz esquecer do player, ouvindo o disco todo sem esforço algum.

Destaque para a faixa de abertura, já citada, “Galaxy” e para as “Ho Ho Ho”, “Olles Kloer”, “Humans”, “Just Crash” (que me lembrou muito da mítica banda Dinosaur Jr), a balada “Bedtime Stories” e “Happy” que começa, ao maior “stoner lifestyle”, com um barulho de mijo!

Achei o disco ótimo, o jeito que as faixas foram dispostas não o deixa enjoativo, problema comum dentro do estilo, e isso corrobora para minha empolgação já demonstrada com as variações feitas. Acho isso importantíssimo, discos que seguem apenas uma linha não me agradam muito e é considerável a versatilidade dos músicos para compor dentro de um universo faixas tão bacanas e diversas.

Bons 40 minutos para se gastar na sua rotina! Seguem abaixo os canais da banda e o Bandcamp para você também ouvir.

Espero que essas linhas tenham servido para incentivar no conhecimento do trabalho dos caras.

Até a próxima!

********************************

Obs.: Precisamos dizer que conhecemos a banda por meio do excelente Music Wall! Curta a página da banda clicando neste link: http://fb.marychaserock. Visite o site da clicando AQUI.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Nada Pop

Nada Pop é um espaço sobre punk, hardcore e alternativo.

%d blogueiros gostam disto: