terça-feira, 14 de agosto de 2018
Nada Pop

Horta Project: o som pesado e instrumental com origem em Brasília

Horta Project é um trio de instrumental formado por Rodrigo Vegetal (guitarra), Lucas Cuesta (baixo) e Tiago Palma (bateria). De acordo com os integrantes, buscam seguir na contramão de outros grupos do mesmo estilo: “O som deve priorizar o arranjo geral”. A banda já se apresentou em alguns dos principais eventos de música instrumental do país, como os festivais Esquina Instrumental e PIB – Produto Instrumental Bruto e fez shows no Ferroada Fest e Dark Fest (DF), além de uma participação já confirmada em novembro desse ano no Festival DoSol (RN).

Lançaram neste mês o DVD Anatomy of Sound, com dez faixas e participações da banda Engels Espíritos e dos músicos Dillo, Tiago Freitas (ETNO), David Athias (Ape X and The Neanderthal Death Squad), Mateus Araújo (Optical Faze) e Ítalo Guardieiro (Device). O DVD também traz números de dança contemporânea e video mapping. A bailarina Nara Faria interpreta uma personagem prestes a ser incorporada por um besouro. O diretor e roteirista é David Murad, que assina o espetáculo e as projeções.

O lançamento foi feito no Festival Móveis Convida, produzido pela NTCA – Não Trabalhamos com Acabamento, que também assina a produção do Anatomy of Sound. A gravação foi em março de 2016, no galpão da Marc Systems, em Taguatinga (DF), com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura da Secretaria de Cultura e Governo de Brasília. O registro também vai virar um CD, previsto para chegar nas plataformas digitais ainda neste mês. Confira nossa entrevista com a banda abaixo, as perguntas foram respondidas pelo Rodrigo Vegetal.

Horta Project - Crédito: Thais Mallon

Horta Project – Crédito: Thais Mallon

NADA POP – Gostaria que vocês contassem um pouco da história da banda, formação e discografia.

HORTA PROJECT – Começamos a tocar no final de 2008, apenas com a pretensão de gravar algumas músicas e ideias que tínhamos guardadas em casa. Gostamos muito desse momento e, após várias horas de ensaios, arranjos e muita composição, finalizamos algumas músicas que se tornaram nosso EP auto-intitulado Horta Project.

Desde então, lançamos alguns singles, vídeos e participamos de alguns projetos inusitados – como a gravação de uma versão heavy metal de uma música dos Backstreet Boys (https://youtu.be/LpCLwR15_MU) – e finalmente, em 2016, estamos lançando nosso primeiro full album.

NADA POP – O símbolo da banda é um besouro, certo? Qual o significado desse símbolo na música de vocês?

HORTA PROJECT – O besouro simboliza o nascimento do grupo, pois foi o nome da primeira música da banda, Besouro Verde, e também a capa do EP (2009).

NADA POP – O som da Horta é instrumental e tem características que passam pelo stoner, progressivo e até para o funk. Mas como vocês diferenciam o som de vocês de outras bandas instrumentais no país?

HORTA PROJECT – Sinto que várias das bandas instrumentais do Brasil seguem uma estética mais psicodélica e etérea, o que é muito interessante, mas no Horta preferimos arranjos mais diretos através de uma composição baseada em riffs e melodias bem definidas.

NADA POP – Como é o público de Brasília e quais a limitações enfrentadas para uma banda de rock conseguir sobreviver no Brasil?

HORTA PROJECT – O público roqueiro em Brasília está cada vez mais entrincheirado. Aqui temos boas bandas e ávidos fãs, mas todos presentes em uma cena bem independente e underground. Bandas demandam tempo e dinheiro e é importante focar na sua subsistência desde cedo. Acreditamos na produção de merchandising e na importância dele para viabilizar as empreitadas da banda. Hoje em dia, além de músico, é necessário assumir vários outros papéis como produção, distribuição e booking. Felizmente, cada vez mais temos ferramentas que ajudam a viabilizar estas funções.

NADA POP – Quais os futuros projetos da Horta Project e qual a expectativa de alcance que vocês esperam conseguir com o trabalho de vocês? Há previsão de turnê dentro ou fora do país? Caso sim, quando e por quais lugares irão passar?

HORTA PROJECT – Acabamos de concluir as gravações do Anatomy of Sound. Além de um espetáculo, ele também representa nosso novo álbum e, por isso, planejamos aproveitar esse lançamento para realizar alguns shows no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e no Rio Grande do Norte no Festival Do Sol, todos ainda este ano. Em 2017 planejamos uma turnê levando todo o espetáculo para estes e outros estados.

NADA POP – Toda banda tem alguma história de roubada ou engraçada. Gostaria que vocês contassem alguma que marcou o grupo.

HORTA PROJECT – Ano passado tivemos um comentário sensacional logo depois de um show em Brasília. Um cara veio todo empolgado e falou: “Galera, que som foda, fiquei muito fã!! Quando vocês acharem um vocalista vai ficar incrível!”.

hortaproject_marcosmedeiros

Horta Project – Marcos Medeiros

NADA POP – No DVD de vocês, Anatomy of Sound, existem números de dança e projeções. Em certo momento, uma bailarina interpreta uma personagem prestes a ser incorporada por um besouro. Esse embate entre o ser humano e o animal pode ter diferentes significados, mas qual o significado que essa passagem no DVD representa para vocês?

HORTA PROJECT – Parte da inspiração para as novas músicas foram sensações e desordens do corpo humano, tanto fisiológicas como sensoriais. Este momento no DVD simboliza o desespero da bailarina transmitido pelas músicas que estão a vir. Desde a suave incorporação com a música Pulse, até a explosiva libertação final com a música Waves of Conflict, a interação com bailarina nos permite ilustrar de uma forma inusitada as perturbações que nos inspiram.

NADA POP – Agradeço o papo e deixo aqui o espaço para vocês.

HORTA PROJECT – Muito obrigado ao Nada Pop pelo espaço e profissionalismo na matéria! Para acompanhar de perto a atividade da banda é só curtir nossa página www.facebook.com/HortaProject.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: