terça-feira, 14 de agosto de 2018
Nada Pop

Henrike fala sobre o volume 2 de “Para Incomodar”, fim do Blind Pigs e projetos

Em 2014, Henrike (do Blind Pigs) e o selo paulista Hearts Bleed Blue (HBB) lançaram por meio do Semper Adversus a coletânea “Para Incomodar” volume 1, com 18 bandas nacionais de street punk. A coletânea gerou muita repercussão e, independente de críticas positivas ou não, foi algo que ampliou o nome de todos os envolvidos nesse projeto.

Semper Adversus é um subselo da HBB e foi idealizado pelo Henrike. Atualmente, também é o nome do programa apresentado semanalmente pelo Henrike na rádio online Antena Zero. O foco do programa não poderia ser diferente: Street Punk/Oi! A descrição do programa na rádio deixa claro que a única apologia feita ali é feita à diversão e boa música. Saiba mais AQUI.

Agora, em recém comunicado feito pela HBB, o volume 2 da coletânea “Para Incomodar” está em pré-venda no site do selo (AQUI). A promessa de mais incômodo não é pra menos, são 14 bandas: Não Há Mais Volta, Faca Preta, Fibonattis, The Beber’s Operário, Doc 21, Explorados, Biertrupe, Lobos Insanos, Boneyard Club, Provocadores, Caturros, Escuderia, Matte Na’Marra e Dekradi.

A coletânea tem masterização de Átila Ardanuy, produtor dos últimos trabalhos do Blind Pigs, e a arte do disco por Paulo Rocker, que faz um tributo aos jovens pilotos da Força Aérea Brasileira enviados para lutar na Europa na Segunda Guerra Mundial, além dos símbolos e as cores da FAB na época.

Abaixo você confere a nossa entrevista com o Henrik, que além deste novo trabalho, fala sobre o fim/hiato do Blind Pigs e futuros projetos.

paraincomodar_2

Capa da coletânea “Para Incomodar” volume 2. O álbum está em pré-venda no site da HBB. Clique na imagem para adquirir a sua edição.

NADA POP – Henrike, o que costuma te incomodar quando o assunto é street punk, internet e banda?

HENRIKE – Me incomoda muito ver bandas brasileiras boas sem verba para fazer uma gravação de qualidade. Tanta banda nacional por aí com músicas incríveis, mas com uma gravação fraca. Na questão da internet, nada me incomoda porque gosto de viver a realidade, não vivo no Facebook. Internet não é a vida real.

NADA POP – Em relação ao volume dois da coletânea “Para Incomodar”, como as bandas foram selecionadas? Houve algum motivo para diminuição do número das bandas participantes?

HENRIKE – No Volume 1 me empolguei e enchi de banda, foram dezoito e acabou sendo muito complicado lidar com esse número, então no segundo volume decidi colocar apenas quatorze para facilitar o trabalho. Muita banda manda material pro meu programa de rádio Semper Adversus e outras bandas eu vejo ao vivo. As melhores seleciono para entrar no disco.

semper_adversus

Semper Adversus: Subselo da HBB especializado em lançamentos de Oi! e Street Punk. O nome é inspirado no lema cravado no casco de um suposto navio de guerra.

NADA POP – O nome já diz tudo, “Para Incomodar”, mas você esperava que a primeira coletânea gerasse tanta repercussão? O que você pode destacar de evolução desse segundo trabalho em relação ao primeiro?

HENRIKE – Realmente não esperava tanta repercussão. Mas é aquilo né, coisa bem feita causa inveja mesmo. A versão em vinil ficou uma coisa espetacularmente linda, com vinil colorido de azul, verde e amarelo. No quesito evolução acho que o segundo volume está mais legal porque a maioria das músicas são inéditas.

NADA POP – Como surgiu a ideia da capa para esse segundo volume? Por acaso é a mesma mulher apresentada na primeira coletânea? Caso sim há alguma razão para isso?

HENRIKE – Não, é outra menina na capa. A arte do Paulo Rocker que homenageia os pilotos da FAB na época na segunda guerra mundial foi uma ideia minha. Desde moleque sempre gostei de coisas relacionadas à guerra especialmente navios e aviões e essa foi uma oportunidade de fazer essa bela homenagem a aqueles jovens pilotos que realmente combateram o fascismo na Itália, e não atrás de uma tela de computador espalhando boatos.

NADA POP – Além da HBB, a coletânea será lançada em vinil fora do país pelos selos americanos Pirates Press Records e Longshot Music. Qual a importância desse lançamento fora do país?

HENRIKE – A importância é histórica. Afinal são dois dos maiores e melhores selos americanos que trabalham com street punk atualmente. Ter o apoio dos meus amigos Skippy, dono da Pirates e do Mike, proprietário da Longshot, foi algo que me deu muito ânimo desde o começo do projeto. Ter o Para Incomodar no catálogo desses dois selos é uma honra. A HBB vai lançar o disco em CD e também em vinil (fabricado no exterior pela Pirates Press) assim como fez com o primeiro volume.

para_incomodar

Capa da coletânea “Para Incomodar” volume 1.

NADA POP – A parceria entre você e a HBB tem gerado bons resultados. Existem outros projetos entre vocês em andamento? O que você gostaria de fazer ou lançar pela HBB? Em 2017, São Paulo Chaos celebrará 20 anos do seu lançamento. Pensam em fazer alguma edição de aniversário?

HENRIKE – O relançamento do disco São Paulo Chaos em vinil azul transparente em formato dez polegadas prensado no exterior em versão limitada de 250 cópias foi a edição definitiva desse disco. Não penso em fazer mais uma edição dele. Eu particularmente gostaria de ver o CD EP “Porcos Cegos”, lançado em 2002, ser relançado em vinil. Outra coisa bem bacana seria ter as duas fitas demo do Blind Pigs, “Sweet Fury” e “Lost Cause” em vinil também. Tenho alguns projetos com a HBB em andamento sim, mas ainda é cedo para divulgar.

gordo_henrike

Gordo e Henrike, foto de 2001. Os membros fundadores do Blind Pigs.

NADA POP – Falando em Blind Pigs, cadê os shows da banda? Vocês passaram por muita coisa no ano passado, entendo, mas como a banda está nesse momento? O Gordo volta ou não a tocar no Porcos Cegos? Continuam se falando?

HENRIKE – A banda acabou, ou está em hibernação, nem eu sei. É complicado. Só te garanto que por um bom tempo não vai ter show do Blind Pigs. A essência do Blind Pigs é realmente a parceria que eu tinha com o Gordo. Conversamos bastante e decidimos que é melhor continuar sendo amigos do que companheiros de banda. Cada um para o seu lado. Ele está feliz com o projeto dele de surf music, o Surf Aliens e eu estou bem satisfeito com a nova banda que eu, o Mauro, o Galindo e o Arnaldo montamos. Maiores notícias sobre esse projeto em breve!

NADA POP – Deixa aqui o seu recado para quem espera que você lance uma coletânea chamada “Para Agradar”.

HENRIKE – Não sou hippie para querer agradar ninguém. Faço as coisas pelo amor à música, porque gosto. Gosto de ver bandas que merecem ganhando destaque e se eu posso de alguma forma ajudar a cena que tanto me ajudou, vou ajudar, fazendo o meu programa de rádio*, lançando discos pelo meu selo com o apoio da HBB, produzindo bandas para elas alcançarem uma qualidade legal de gravação ou simplesmente indo nos shows deixando toda essa politicagem escrota de lado. União e um brinde à legião.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: