quinta-feira, 23 de novembro de 2017
Nada Pop

Hell’s Luthieria – Entrevista com Tiago Hospede

Entrevista especial com o Tiago Hospede, ex-guitarra do Dead Fish e atual integrante do Worst. O papo que aborda influências, setup de guitarra e projetos foi realizado pela Hell’s Luthieria. Confira a página das Hell’s clicando AQUI. Confira o papo abaixo.

Hell’s Luthieria: Entrevista com Tiago Hospede

HELL’S LUTHIERIA – Salve meu camarada! Primeiramente gostaria de saber as suas influências como guitarrista e qual foi o seu primeiro equipo.

TIAGO HOSPEDE – O primeiro guitarrista que eu ouvi que me inspirou a querer tocar foi Chuck Berry quando eu ainda era criança, mas as minhas maiores influências no jeito de tocar e compor são com certeza Dimebag Darrell, do Pantera, e Tommy Iommi. Quanto ao meu primeiro set profissional foi JMP 1 com a potência da 9200 da Marshall e depois fui para a Mesa Boogie Triple Rectifier com a mesa falantes Black Shadow.

HELL’S LUTHIERIA – Todo mundo aqui sabe que você tocou em uma das melhores formações do Dead Fish, como foi essa transição de sair de uma banda que tocava aquele HC da época e ir para o Worst, que pra mim é um puta hardcore metal.

TIAGO HOSPEDE – Na época que saí do Dead Fish, comecei a trabalhar sério com gravação e produção. Montamos o Medellin que contava com Badaui, Monstrinho, Pablo, Tadeu e eu. Logo depois montei o The Silence com o Fernando Schaefer e o China, fizemos duas turnês internacionais uma delas abrindo os shows do Soulfly. Essa estrada e amizade com Monstrinho e com o Fernandão abriu as portas para começar a gravar os discos e quando eles precisaram de um guitarrista entrei pro Worst.

HELL’S LUTHIERIA – Bom eu como roadie do Worst já montei mil vezes o seu setup, você sempre preferiu o Fractal?

TIAGO HOSPEDE – Cara, na verdade não. Eu tinha muito preconceito com digital, eu vim da escola do analógico: fita, mesa e amp valvulado, mas o principal na música pra mim é nunca se limitar a uma receita ou regra, o que soa melhor e o melhor pra cada situação.

HELL’S LUTHIERIA – Fora o Worst você tem algum projeto paralelo?

TIAGO HOSPEDE – Hoje eu tenho o Hostil que é um projeto mais stoner que comecei com a minha esposa e alguns amigos, devemos lançar o primeiro EP em 2017 . O Medellin e o The Silence se encontram em hiato temporário até sobrar um tempo extra dos integrantes.

Hospede - Foto: Edouard Lefort

Hospede – Foto: Edouard Lefort

HELL’S LUTHIERIA – Sempre preferiu o modelo Les Paul? Acha que ela preenche mais o som quando a música pede algo mais encorpado assim como as bases do Worst.

TIAGO HOSPEDE – Sempre fui fã de Les Paul, minha guitarra favorita. Usei muitos anos a Gibson, mas estou bem surpreendido com a Ltd, tenho uma SG também que usei bastante nos meus discos.

HELL’S LUTHIERIA – Você tem o estúdio Lamparina e já ouvi uma penca de álbum gravado por você, inclusive o Instinto Ruim foi um deles. Como foi esse lance de entrar pra banda e já participar dessa produção toda?

TIAGO HOSPEDE – Eu já havia gravado, mixado e masterizado os primeiros álbuns que foram produzidos pelo Fernando Schaefer nesses dois últimos. A gente fez uma parceria/produção que foi do caralho e a cada trabalho vejo que chegamos em um resultado melhor de timbres, vocal e letras.

HELL’S LUTHIERIA – Pra finalizar! Três álbuns que mudaram a sua vida?

TIAGO HOSPEDE – Com certeza essas foram as bandas que mais influenciaram e esses são discos que nunca parei de ouvir: Black Sabbath (Vol 4); Pantera (Vulgar Display of Power) e Alice in Chains (Dirt).

HELL’S LUTHIERIA – Bom meu tru! Meu muitíssimo obrigado por essa entrevista e por um ano e pouco de parceria com a Hell’s! Agradeço de coração!

TIAGO HOSPEDE – Queria agradecer a vocês pelo espaço, a todos que acompanham meu trabalho e dão valor aos artistas independentes brasileiros. E aproveitar para agradecer o maravilhoso trampo da Hell’s Luthieria no palco e na regulagem de cordas do Worst. A gente que toca em afinação baixa depende de um trabalho preciso de regulagem tanto no braço quanto nas oitavas e você está sempre na linha de frente representando.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Jean Moura

Jean Moura é guitarrista do RHINO, dono e luthier da oficina Hell’s Luthieria.