quinta-feira, 24 de Maio de 2018
Nada Pop

Dona Zaíra e seu “Terno e Gravata”

“Ah, mas essa banda aí não é punk e nem hardcore”. / “Poxa, o Nada Pop está decaindo, hein?” / “Cês colocaram uma banda de MPB aqui? Vixi, não volto mais”.

Sim, eu sei o que você está pensando. Eu sei que você, nessa sua cabecinha de vento deve acreditar que nós somos um bando de punks que só ouvem música punk e hardcore. Né? Errado, mas não se preocupe (ainda), mas acostume-se com algumas exceções de vez em quando, não é Serapicos?

Como curti o clipe e a música, que no final das contas tem tudo a ver com o meu atual estado de espírito: “Já me acostumei/ A ser despejado, a levar pancada / A ouvir besteira, a tomar canseira / Já fiz a feira só com dez reais”. Resolvemos postar a banda aqui, ouça primeiro antes de sair julgando, beleza? Pelo menos neste caso.

A banda Dona Zaíra é formada por Beibi (zabumba e vocal), André (sanfona), Diego (triângulo), Rafinha (cavaco), Matheus (contrabaixo) e Maicon (percussão), e lançou no último domingo (30/3) o clipe da música “Terno e Gravata”, que faz parte do 3º CD da banda, #AntenaseRaízes (2014).

O grupo, formado em Piracicaba, interior de São Paulo, tem como característica o forró. Isso mesmo, forró! O som, temperado com vários ritmos, tem levadas de carimbó e cúmbia, ritmo tradicional da Colômbia. Fugindo das temáticas mais tradicionais que permeiam o forró, a música “Terno e Gravata” fala de forma bem humorada de política e das condições de trabalho do artista brasileiro. Porra, vai me dizer que você leu isso e não começou a pensar diferente? Dirigido por Paul Domingos, da Pexera TV, o clipe foi filmado durante o carnaval de 2015, no bairro da Vila Madalena, em São Paulo. Assista!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: