quinta-feira, 18 de outubro de 2018
Nada Pop

Crônica ~ Quem é você nesse jogo todo?, por Rafael Moralez

“… para os liberais do século XIX, a dimensão moral era fundamental, e a favela era considerada, acima de tudo, um lugar onde o “resíduo” social apodrecia num esplendor imoral e quase sempre turbulento.” (Davis, 2006, p. 198)

“Em toda parte o FMI, agindo como delegado dos grandes bancos e apoiado pelos governos Reagan e Bush, ofereceu aos países pobres o mesmo cálice envenenado de desvalorização, privatização, remoção dos controles da importação e dos subsídios aos alimentos, redução forçada dos custos com saúde e educação e enxugamento impiedoso do setor público. (Um famoso telegrama de 1985 de George Shultz, Secretário do Tesouro dos Estados Unidos, a oficiais do USAID no exterior ordenava: ‘Na maioria dos casos, as empresas do setor público têm de ser privatizadas’”. (Davis, 2006, p. 204)

“…os ‘não globalizáveis’ no modelo econômico por ele definido como de ‘novíssima dependência’.” (Cohn. 1999, p. 8)

Existe a linha. Ela está pintada no chão e possui a cor amarela. É dito que não se pisa além da linha, mas quem obedece?

Todos obedecemos até o momento em que VOCÊ chega. Nesse momento, diante dos olhos daquele grupo no qual você procura uma distinção interna, o ato de pisar além da linha é realizado.

Você está se sentindo bem?

Não há aumento de liberdade, tampouco quebra da ordem preestabelecida no que toca a linha amarela pintada no chão. Só um sujeito que pisou além dela.

Você se sente bem?

O grupo não o admira. O grupo não lhe concede nenhum tipo de distinção, honraria ou tratamento diferente por conta de seu feito. Foi alguém que rompeu com o combinado. Isso, e nada mais.

Uma sociedade baseada no SER, com uma partilha equitativa do TER.

Você precisa quebrar a regra para sentir que realizou algum feito que o coloca em um lugar diferente de todos os que andam no mesmo caminho que você. Por todos os anos foi um longa fila indiana e você era só mais um, ninguém notaria sua presença… …ninguém se importa com quem está na fila.

Você consegue não pisar fora da linha?

Que mais você espera de mim?

Preciso pisar fora da linha… …esperam isso de mim. Não é uma sina, mas é dito nas rodas de amigos, “Ah o fulano, ele sim pisaria além da linha amarela!”

Quando você acha que está quebrando com o paradigma e sendo revolucionário na verdade você só está sendo o motivo que o outro lado precisa para te reprimir.

Ele vive da repressão… …de que serve a bomba de gás se eu não tenho em quem jogá-la?

A revista Marie Claire tem como slogan a seguinte frase “Chique é ser inteligente”. A inteligência é algo para ser vestida, como uma echarpe ou um sapato dockside. A inteligência é saber ficar quieto. A inteligência é pisar exatamente onde a linha começa. Ser inteligente é não ser chique. Ser inteligente é fabricar na China e vender na África. Inteligência é beber água e passar protetor solar. Inteligência é algo que se escolhe… …hoje vou ser ignorante, me perdoe meu amor!

Me mandaram um teste para saber que personalidade tenho, sou arrojado, reservado, expansivo, blá, blá, blá… …preciso de um teste para saber de mim mesmo.

Sou Inteligente, certo? Sou aquele que pisa fora da linha. Leio, vejo e ouço o que dizem ser bom. Vivo o estilo Marie Claire of life, me visto bem. Tenho o faqueiro Caras. Tenho, possuo… …e se tenho, essa sociedade me reconhece. Uma sociedade baseada no ter.

Você assume a vida sem ser chique?

Sem parecer inteligente?

“Você já foi ao play center?

Topas um drinque num drive-in?” (Barnabé, Arrigo)

*****************************************

*Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações clicando AQUI.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Rafael Moralez

Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações

%d blogueiros gostam disto: