terça-feira, 23 de outubro de 2018
Nada Pop

Crônica ~ O rapper emocionado, por Rafael Moralez

O rapper emocionado não cabe em si. Ele se emociona no show e na entrevista também. Canta e fala com tanta emoção, voz embargada, quase trêmula e gestos descontrolados, como se não coubesse em si. Nunca vi suas lágrimas, mas suponho que são muitas.

O rapper emocionado é adorado e idolatrado por 9 entre 10 pessoas que gostam de raps emocionantes. Não poderia ser diferente, ele realmente é um rapper que exala sentimentos. O teor de suas letras é variado, fala disso aqui, daquilo ali e de acolá. O que não falta é sentimento. Ele é quase só coração. Digo quase, porque tem também umas rimas meio forçadas e outras que até casam, mas meio pobres.

Ele joga nas onze. Ele bate escanteio e cabeceia. Ele era desconhecido, mas agora… …bom, agora ele é overall, ele é “o cara”. O rapper emocionado é humilde, e deve ser gente boa, mas seus fãs não. Esses são da fuzarca, são bilontras folgazões, são traquinas levados da breca, aprontam altas travessuras e se metem em altas confusões. É uma patota supimpa. É um grupelho chato pra caralho!

Uma vez encontrei um músico que toca com o rapper emocionado e perguntei:

Você toca teclado né?

Ele ficou me olhando, eu reforcei fazendo como se tocasse um piano imaginário (air piano):

Teclado sabe… (gesticulando no estilo Roupa Nova, a banda que tem 7 tecladistas e um baterista que canta)
Ele não entendeu, foi melhor assim.

Não se pode falar mal dele, do rapper. Uma vez o fiz e foi como se jogasse sangue podre de porco no Papa Francisco em plena missa do galo. Estava em uma mesa de bar e pronunciei as palavras que nunca podem ser ditas:

Gosto do som dele não, acho meio chatinho!

A noite acabou e a amizade com uma amiga ficou seriamente abalada. Depois disso ainda emendei uma crítica aos Djs… …foi a pá de cal. Nem saideira teve. Cada um pro seu canto, climão na despedida!

Veja bem, vou dizer uma vez só, e você que trate de me entender bem, vou falar uma vez só:

O rapper emocionado é foda, ele é bom e “prontoacabô”, nenhuma crítica pode ser dirigida a ele. Caso não goste, limite-se a dizer isso baixinho, pra você mesmo, debaixo do cobertor, numa noite de frio solitário de preferência bem longe de São Paulo… …e que os anjos não te ouçam.

Tem o amigo do rapper emocionado, mas esse aí… …xapralá!

*****************************************

*Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações clicando AQUI.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Rafael Moralez

Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações

%d blogueiros gostam disto: