quarta-feira, 22 de novembro de 2017
Nada Pop

Crônica ~ A roda de pogo

Ouça e leia

– Pela guitarra tonante que não afina.

– Pela bateria RMV de três tons que é feia pra caramba.

– Pelas pessoas que anunciam uma bateria Pearl export cor de vinho (que na verdade vale R$1000,00 porque está toda detonada) por R$7000,00 e escreve na frente RA RI DA DE.

– Pela banda que imita as outras até no jeito de vestir.

– Por todas as pessoas que montam banda querendo fazer sucesso e acham que atingiram isso quando fazem um show com camarim.

– Pelo chão de bike que levei semana passada. Parei de beber, mas tô queimando um fumo que é uma beleza viu!

– Pelo Nada Pop.

– Pelo guitarrista que sempre tem uma “viagem” quando marca show que tem levar o amplificador pra tocar… …”….pô bixo, tem que levar o ampli?”, 10 minutos depois “…cara lembrei que vou viajar nesse dia!”

– Pelo reggaeton que é o maior barato.

– Pelo amigão que gosta de perguntar da sua banda, mas nunca cola no seu show e quando diz que vai pede pra por o nome na lista. Não paga R$10,00 pra ver tua banda, mas paga caro nos shows gringos. O dinheiro é dele, cada um gasta como quer.

– Pelos pratos de bateria nacional, que estão melhorando.

Somos tortos. A maior prova da nova deformação moral esteve na TV, na rádio e na internet ontem por todo o dia. A imagem que representa isso é de um mar de homens de terno azul, se esbarrando uns nos outros como um show de hardcore, como uma roda de pogo. Peço desculpas a todos que curtem entrar naquelas rodas de pogo, mas vou usar a imagem como comparação. No pogo a gente tem porradaria, cotovelos cruzando o ar e chutes baixos. Na roda de pogo tem respeito e se você cai é comum ver um completo desconhecido te estendo a mão para ficar em pé de novo e continuar aquela dança caótica, mas divertida pra caramba. O que vi ontem foi a roda de pogo mais feia da minha vida. Chutaram para fora da roda uma mulher que não pisou em ninguém, nem roubou. Quem a colocou pra fora foi o cara mais violento da roda, o mais cusão!

Por tudo isso eu voto que cada um faça o que for melhor… …mas quando encontrar alguém caído, na roda de pogo estenda a mão, é assim que deve agir.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Rafael Moralez

Rafael Moralez é músico, ilustrador e autor da série Peixe Peludo. Conheça seu blog de ilustrações