sexta-feira, 19 de outubro de 2018
Nada Pop

Conheça o Projeto Torto, selo que propõe sustentabilidade entre artistas

Nessa semana recebemos o anúncio de lançamento do selo Projeto Torto, que propõe um novo modelo para a atual situação das bandas independentes. O selo é idealizado pelo Bruno e Mauro (Porno Massacre), André Astro (O Grande Ogro), Danilo (Danilovers) e o Rodrigo (Alcoóliques).

Segundo Bruno, o surgimento do selo “com cara de cooperativa” se adapta aos novos tempos, no qual o pensamento de assinar com uma gravadora, rodar o mundo e “estourar” não tem como existir. “Os artistas são muito pouco práticos, repetem os mesmos erros dia após dia, ano após ano por acreditarem num mundo de princesas da Disney do rock and roll”, diz.

Por outro lado, os idealizadores do projeto entendem que tudo é troca, escambo. E que como empresa, não conseguiriam sustentar o formato padrão de um selo/gravadora – aquele de pagar para uma banda gravar, lança-la, ganhar dinheiro com as músicas, marcar turnês,  pagar os músicos, entre outras coisas.

projetotorto_flyer

Clique na imagem para ser direcionado para a página do evento no Facebook.

O Projeto Torto tem a ideia de produzir material que faça sentido para o mercado e usam a mão de obra como base de troca dos envolvidos no selo. “Temos o André que filma e edita, eu sou técnico de som. O Mauro curador, o Danilo trabalha com merchandising e por aí vai. Nosso ‘capital de giro’ é mão de obra especializada”, conta.

Para o primeiro passo da proposta surge o “Projeto Gravadeira” para testar esse modelo. E o próprio Bruno conta como será a ideia:

“Queríamos gravar as bandas, mas não como todos fazem. Gravar um disco e colocar numa barraquinha no show é bacana, porém trata-se de uma coisa mais lúdica do que funcional. Não dá retorno, não dá quórum… é mais do mesmo! Você trabalha muito pra atingir um numero muito baixo de pessoas.

Tivemos então a ideia de um produto audiovisual para as bandas. Gravar um show, ou algo do tipo e adivinha? Lugar comum novamente! Tá cheio disso por aí. Gente que faz um puta trabalho inclusive. Mas ver o vídeo de uma banda tocando ainda não é suficientemente atraente para alguém que nunca escutou os caras. Vai se tratar de um vídeo de banda apenas. Morreu ai.

Por fim, encontramos um modelo que parecia mais atraente. Colocar em destaque também o local da gravação! São Paulo tem inúmeros locais ‘históricos underground’. Queremos bandas underground falando de locais underground, queremos que soe documental! Captaremos algo realmente único. Aquela banda, naquele dia, naquele lugar. Nunca mais vai soar da mesma forma. É um projeto que fala de amizade – sempre são colocadas duas bandas por programa, pois elas se ajudam na gravação – e de história de São Paulo. Pois na real, é disso que vive o underground de São Paulo: histórias, locais esquecidos e amizade.”

Bruno ainda nos contou que além de tudo isso, será uma gravação aberta em formato de “arena” onde as pessoas poderão assistir ao redor da banda todo o processo de captação. Esse processo é herança do Tendal Independente, projeto anterior do Bruno junto com o Mauro. Quem comparecer terá acesso total a equipe técnica, possibilitando inclusive aprender na prática conceitos de áudio/acústica de “guerrilha”, ou seja, trabalhando no mundo real, sem recursos caros.

Informações técnicas do Projeto:

– 30 minutos é a duração de cada programa;
– Cada programa terá duas bandas e as bandas necessariamente tem que ser amigas;
– Aproximadamente dois a três músicas captadas por banda;
– Entrevistas com as bandas falando do local e apresentando o local;
– Entrevistas com os técnicos de som falando sobre a sonoridade da banda no lugar;
– Entrevistas com pessoas relacionadas ao local (algum mantenedor ou coisa do gênero) se houver.

Após o piloto haverá mais dois programas de 30 minutos cada. Isso irá configurar a primeira temporada do projeto. Para saber mais sobre a proposta acompanhe pela página oficial do Projeto Torto: www.facebook.com/TortoRecords.

Amanhã, dia 27 de novembro, acontece a gravação do piloto do projeto no Tendal da Lapa, aqui em São Paulo. Compareça e confirme a presença também na página do evento: http://migre.me/vAKh8.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: