segunda-feira, 12 de novembro de 2018
Nada Pop

Clemente e A Fantástica Banda Sem Nome e o álbum “Antes Que Seja Tarde”

Clemente e A Fantástica Banda Sem Nome – Foto: Tinho Sousa

“Seguir em frente é imprescindível e esquecer é possível” diz uma das faixas do primeiro álbum solo do Clemente Nascimento que logo de início dá o tom rock and roll oitentista do disco, mas que felizmente não acaba caindo nos clichês do “rock pop” do gênero.

Conhecido nacionalmente pelas bandas Inocentes e Plebe Rude, Clemente se juntou aos músicos Joe Gomes (baixo), Johnny Monster (guitarra) e Rodrigo Cerqueira (bateria) para criar as sonoridades do álbum batizado com o nome de “Antes Que Seja Tarde” durante o ano de 2015. Músicas guardadas por anos revelam uma estética bem diferente do Clemente em suas outras bandas, mas que definitivamente reforçam seu talento como compositor.

O álbum foi lançado neste ano pela gravadora Hearts Bleed Blue (HBB) e recebeu um acabamento artístico muito bonito visualmente que enaltecem ainda mais o trabalho e o torna mais interessante e que consegue trazer um clima lírico e lúdico, sem perder aquela sensação de alternativo. Isso foi algo que o próprio Clemente chegou a comentar quando explicou a respeito deste trabalho e, agora com ele em minhas mãos, realmente é possível comprovar.

Entre as faixas que particularmente me chamaram mais a atenção estão: “Sou Como o Sol”, “Imprescindível”, “Sonhos” e “Tosco Blues”. Ouça todas essas músicas em um volume bem alto.

Clemente assina um belo disco e reforça sua capacidade de se reinventar, trouxe músicos competentes que colaboraram de forma precisa com o trabalho e mostra que seguir em frente não é só uma bela canção…

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: