terça-feira, 18 de dezembro de 2018
Nada Pop

As lições mais importantes que o punk rock pode te ensinar

1. Se você tiver medo de falhar, você nunca tentará

tina_marga

A pequena Tina, filha do Rodolfo Marga, brincando na bateria do Sentimento Carpete – Foto: Márcia Martinello

Um dos princípios que o punk lhe ensina é correr atrás das coisas, as consequências que se danem. Sim, isso pode ser atrevido, mas o sucesso deve ser consequência da paixão, e não o objetivo.

2. Questionar tudo, especialmente a autoridade

02_la_burca

Amanda Rocha, da banda La Burca – Foto: Aline Maffi

Para muitos, o punk rock é a introdução sobre a política e a corrupção, principalmente através da leitura de letras de Dead Kennedys e, então, pela explosão de ideias influenciadas por bandas como Discharge e Crass. Mais importante, o punk nos mostra que não somente políticos devem ser questionados, mas todas as autoridades, incluindo seus pais.

3. Você não tem que ser perfeito

03_lombaraivosa

Lomba Raivosa! – Foto: Joyce Silveira

A beleza do punk rock é tratar-se de emoção pura, crua, um nervo exposto que não precisa ser astuto e polido para atingir seu ponto de vista. Quer dizer, Sid Vicious provavelmente era o pior baixista do mundo, mas isso impediu os Sex Pistols de fazerem história? Não! Claro que não. Tudo que o punk pede é que você dê tudo de si, e se errar, melhor ainda.

4. Você é um indivíduo, então se expresse como tal da maneira que quiser

general_sade_porno

General Sade, também conhecido como Roger Marinho Martins, durante performance com a Porno Massacre – Foto: Fernanda Gamarano

É o seu cabelo, o seu corpo. Faça o que tiver vontade com eles. Só não use Crocs, por favor.

5. Às vezes você é melhor fazendo as coisas por si só

05_querolx_zine

Ana Carolina Nicolau, conhecida também como Querolx, com o fanzine “De Onde Vem?” (ótimo por sinal) – Foto: arquivo pessoal

A filosofia do “Faça Você Mesmo” implementada pelo punk rock nasceu da necessidade, com bandas e fãs tendo de fazer tudo por conta própria – incluindo revistas, capas de discos, etc. — sabendo que ninguém daria uma mão. Com essa ideologia, você pode enfrentar o mundo em todos os seus aspectos, uma vez que no fim das contas, a única pessoa com quem você pode realmente contar é você mesmo.

6. O bate cabeças pode ser uma libertação

mollotov_attack_marceloshina

Bate-cabeça durante show da banda Mollotov Attack – Foto: Marcelo Shina

Especialmente na adolescência, quando seus hormônios estão fora de controle e parece que o mundo está contra você, não há nada melhor que liberar suas frustrações se debatendo violentamente com outros adolescentes que fazem exatamente a mesma coisa. No final, você sente como se tivesse acabado de participar de uma maratona, o que, dependendo de quantas vezes você correu em volta daquele círculo, você praticamente participou.

7. Não julgue um livro pela sua capa

07_garrafa_vazia

Banda Garrafa Vazia – Foto: Laudelino Moreira

Algumas das melhores, mais gentis e mais doces pessoas que você conhecerá estarão vestindo uma jaqueta de couro e terão cabelos pontudos. O fato de alguém não ser um cidadão dentro dos padrões não o torna uma ameaça, apenas o faz diferente.

8. Há muitas coisas por aí além do punk rock

Gomalakka na FATEC - Foto Fernando Ctenas

Gomalakka na FATEC – Foto Fernando Ctenas

O punk é a porta de entrada perfeita para outros gêneros musicais, uma vez que sua árvore genealógica é espessa e com ramificações – algumas levando ao metal , algumas ao ska ou reggae, algumas ao hip-hop, etc. Mergulhar no punk realmente significa mergulhar na música como um todo.

9. Você não está sozinho.

O maior presente que o punk rock oferece é o fato de existir outras pessoas como você por aí. Não há nada pior do que se sentir isolado, como se ninguém o entendesse, e então — BUM! — surge está esta música e esta comunidade que te compreende instantaneamente. Esta é a razão pela qual você se apaixona por isso tudo, e a razão pela qual, haja o que houver, seu coração será sempre punk.

boqa_penhasco

Eduardo Santana (Boqa), vocalista da banda Penhasco, com Rodrigo Lima, do Dead Fish – Foto: Eduardo Santana

Sim, adaptamos do BuzzFeed (sem mimimi), ok? Links originais AQUI e AQUI.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Nada Pop

Nada Pop é um espaço sobre punk, hardcore e alternativo.

%d blogueiros gostam disto: