quinta-feira, 23 de novembro de 2017
Nada Pop

A lendária Barclay House em Baltimore

Texto por Thiago Roxo

Quando acordei no último dia na Barclay House eu já me sentia em casa, estava confortável e o clima já começava a apresentar sinais do outono, porém os dias anteriores tinham sido diferentes. Era setembro de 2015, tínhamos acabado de fazer o nosso último show da turnê da Lo-Fi pelos estados de New York, Kentucky, Ohio, Illinois, Philadelphia, Washington e Maryland.

A Costa Leste dos Estados Unidos é bem diferente da Costa Oeste. Tem uma certa umidade tropical, apesar do frio do inverno. As ruas não são tão limpas e íntegras. Existem buracos e lixo nas calçadas. O calor pode ser sufocante.
Fomos para Baltimore, depois de fazer os shows de Nova York, Whitesburg, Lima e Chicago. A cidade ia ser nossa base para o resto da turnê e ao chegar já estranhamos.

Baltimore não é nada parecido com as cidades americanas que eu havia conhecido até então. Muitos locais abandonados. Da Avenida Greenmount pra frente não se deve ir, perigo. Baltimore não é uma cidade onde pessoas vão fazer turismo. Tem a parte bonita, próximo ao aquário, mas não é o que representa a cidade. O som característico de Baltimore é o som de motos, sirenes e helicópteros.

Chegamos na esquina da Barclay Street com a 21st Street. Dan Mc Gregor, nosso tour manager, integrante das bandas Lotus Fucker e Merciles Games e dono do selo SPHC Records, apresenta sua casa orgulhosamente: a lendária Barclay House.

Entramos e estava realmente quente e suja, acho que ninguém nunca tinha varrido a casa. Baratas habitavam a cozinha.

Meus companheiros de banda (Marcelo e Rogério) e o fotógrafo Leonardo Pepino que nos acompanhava, escolheram o depósito da SPHC Records para ser o quarto deles, tinha um aparelho de ar condicionado jogado que o próprio Leo instalou na janela. Eu escolhi um quartinho ao lado do quarto do Dan, com a cama suspensa bem alta. Deve sobrar uns 70 cm até o teto. Mas a janela abria em cima e pela abertura entrava uma brisa maravilhosa diretamente no suor das minhas costas.

cartaz_barclay

Cartaz do show na Barclay House com as bandas Sick Fix, Warxgames e Lo-Fi.

Embaixo da cama, pilhas de discos, LP’s e 7″ de bandas como Globsters, Lotus Fucker, Sete Star Sept e mais milhares de bandas japonesas.

A casa é enorme. Fica numa das piores vizinhanças de Baltimore. O quintal da vista para casas onde a polícia parava frequentemente.

A vizinhança fala alto, todos negros. Todos para fora, sentados na escadinha de entrada da casa conversando e fugindo do calor de dentro das casas. Em Baltimore a maioria é negra. Isso é Baltimore.

Dan nos conta sobre a violência policial, gangues e fala sobre os protestos de abril e maio de 2015 motivados pelo assassinato de um homem negro pela polícia.

Fala sobre os 12 O’clock Boys (vídeo abaixo) perseguidos pela polícia que fazem coisas impressionantes em motos, triciclos e quadriciclos. Eu e Leo vimos três passando na avenida. A moto realmente fica na posição de meio dia. Crianças empinam suas bicicletas o dia inteiro na rua alimentadas pelo sonho de entrar para o grupo.

Apesar de todo este cenário, logo percebemos que, ao contrário do que parece, a vizinhança é amigável. A Barclay House é uma casa de punks que recebe shows frequentemente e é aceita pela vizinhança, pois há uma política de cooperação entre todos ali.

No dia em que tocamos lá, nós limpamos e varremos o local. Pontualmente no horário do primeiro show o pessoal chega e enche a casa.

O show foi com as bandas War Games, Sick Fix e as lendas locais, The Pist. E foi intenso, com energia e som alto.
15 minutos após o final da última banda, todos vão embora e a casa continua limpa.

Este foi nosso último show da turnê e antes dele tínhamos tocado em Newark, Philadelphia e Washington DC. Comemos, dormimos e no dia seguinte seguimos para Nova York para passar a última noite junto com o Pete e a Adriana, amigos do Brasil e pegar o avião de volta.

Veja as fotos da Barclay House feitas pelo Leonardo Pepino na página do Nada Pop no Facebook: http://migre.me/vnIeV

********************

Thiago Roxo é guitarrista da banda Lo-Fi, conheça e ouça a banda AQUI e AQUI.

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Nada Pop

Nada Pop é um espaço sobre punk, hardcore e alternativo.