quinta-feira, 24 de Maio de 2018
Nada Pop

3ª Mercado de Peixe na Sensorial Discos

peixe_peludo

Peixe Peludo – O Herói da Raça

No dia 28 de novembro será realizado mais uma edição do Mercado de Peixe, uma feira independente de quadrinhos e que contará também com muita música, bebidas e, claro, ótimas companhias para você que gosta do clima da região da Rua Augusta, ou apenas quer conhecer o lugar que é uma das referências de São Paulo quando o assunto é underground.

O MP dessa vez volta para a loja Sensorial Discos, onde a sua 1ª edição foi realizada, e abrigará novamente quadrinistas, editores, xilogravuras e até exposição. A loja está localizada na Rua Augusta, nº 2.389, em São Paulo.

A primeira edição do MP foi registrada pelo Nada Pop, e como recordar é viver você pode ler (ou reler) a matéria sobre a 1ª edição clicando AQUI, e ver fotos dela AQUI. Novamente, o Rafael Moralez, organizador do evento, bateu um papo com a gente sobre a feira e nos deu um pouco mais de detalhes do que irá rolar no evento no dia 28. Confira o papo abaixo e não deixe de ir na feira e comprar um quadrinho, combinado?

NADA POP – Como explicar o que é o Mercado de Peixe para quem não conhece?

RAFAEL MORALEZ – A Feira Mercado de Peixe é um evento de quadrinhos e publicações alternativas, que possibilita você conversar com os autores, tomar uma boa cerveja e ver o show de uma banda de rock no final. Uma festa de seis horas de duração (começa às 18h e termina meia-noite). É um evento que eu sempre quis ir, mas como não existia, organizei um!

NADA POP – Essa é a terceira edição do MP, conta onde e quando foram realizadas as edições anteriores.

RAFAEL MORALEZ – A primeira foi na Sensorial Discos mesmo, foi bem boa. A segunda aconteceu no Brooklin Fest e foi um pouco diferente, na terceira voltamos para a Sensorial, que abraçou total a ideia do evento.

NADA POP – Quem participa dessa nova edição do MP? Quais desenhistas, ilustradores, editores? Terá música ao vivo, isso?

RAFAEL MORALEZ – Nessa edição temos como expositores:

– João Victor Rabello – A mulher que ia navegar
– Gabriela Leite – Trajetos
– Polly Sjobon – Música para colorir
– Ilustras Rafa Moraleza – Produto do Ócio
– Rodrigo Bueno e Rafael Moralez – Peixe Peludo #2 – O Herói da Raça
– Renata Rinaldi- Labirinto em linha reta e Pequeno Bapho
– Alexandre Teles – xilogravuras
– Gabriel Arrais – Necromorfus
– Luciana Foraciepe – XULA
– Kiko Garcia – Catacumba
– Mu Tron – Love hurts
– Juliana Vidigal e Carlo Giovani – love factory
– Pietro Luigi – O banhero selvagem
– UGRA PRESS
– Kellen Carvalho – Velha

Também vamos ter um show de encerramento com a banda Thee Dirty Rats e exposição de Lorena Kaz, com o “Morrer de amor e continuar vivendo”.

mercado_peixe_3_edicao_menorNADA POP – Você é autor da HQ Peixe Peludo, uma terceira edição está prevista para o ano que vem. Para quem não conhece como você resumiria a HQ?

RAFAEL MORALEZ – O Peixe Peludo é uma HQ que faço junto com Rodrigo Bueno, trata-se de uma trilogia, os dois primeiros livros já foram lançados e em 2015 encerramos com o terceiro. É uma HQ sobre a cidade de São Paulo, o personagem anda por ela pensando sobre o que vê e o que sente. Acho que é algo que reflete o que as pessoas pensam, muita gente vem me dizer que se identifica com algumas partes. Pra quem quiser conhecer ou comprar os livros é só entrar no Facebook na página do Peixe Peludo. CLIQUE AQUI.

NADA POP – Sua banda se chama The Bottleneck Screamers, qual a relação da música e quadrinhos para você? E quando você está escrevendo roteiro da HQ, você costuma ouvir algum som? Pode citar qual?

RAFAEL MORALEZ – Nos anos 70 eram formas alternativas de expressão, o quadrinho com Crumb, ZAP, por exemplo, e o rock como música de protesto e rebeldia. Hoje tudo é bem pasteurizado, vejo as pessoas produzindo rock e quadrinhos porque é “legal” ser quadrinista, tá na moda. Assim como andar de bicicleta está na moda. São Paulo tem isso muito claro, as ondas de comportamento passam e duram um tempo. Penso que a maior revolta hoje é não ter Facebook e consumir menos.

Quando escrevo ouço trilha sonora de filmes de suspense e terror, O iluminado, Tubarão, Drácula, Psicose, criam um bom ambiente e acalmam a mente.

NADA POP – O palco das histórias do Peixe Peludo é a cidade de São Paulo. O quanto SP te inspira e te deprime?

RAFAEL MORALEZ – São Paulo é grande demais. Tem dias que eu gosto, em outros nem saio de casa. Complicado ter um sentimento só pela cidade. O que mais me inspira na cidade é a vontade de ir embora dela.

SERVIÇO
3ª Mercado de Peixe
Quando: dia 28 de novembro
Onde: na Sensorial Discos, localizada na Rua Augusta, 2.389, em SP
Horário: a partir das 18h até a meia-noite

Página do evento no Facebook (mais informações também!): http://migre.me/mVfgH

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: