sexta-feira, 25 de Maio de 2018
Nada Pop

3 Perguntas – Testemolde | Rubber Tracks

O Testemolde, banda formada por Azeite De Leos (guitarra), David Menezes (baixo) e Guilherme Garcia (bateria), foi um dos 10 artistas selecionados pelo projeto Rubber Tracks da marca de tênis Converse. O projeto, para quem não conhece, convida bandas para gravar durante um dia inteiro e totalmente na faixa em um estúdio profissional. A banda sai do estúdio com a sua música produzida e com todos os direitos autorais sobre as faixas gravadas garantidos. Para saber sobre o projeto e como ele funciona basta clicar AQUI.

Abaixo você confere nossas três perguntas para o Testemolde que, entre outras coisas, falou da experiência de participar do projeto.

NADA POP – Contem como foi a experiência em participar do Rubber Tracks, qual foi a impressão de vocês e o quanto isso irá contribuir para a banda. Aproveitando, vocês podem falar a respeito dos sons que vocês gravaram lá e se possuem ideia de como e quando irão lançar essas músicas?

GUILHERME GARCIA – Então mano, pra nós foi uma surpresa! A banda é “nova”, tocamos faz tempo, mas de “correria” de DISCO, shows, e tudo mais, começamos na virade de 2013 pra 2014. Então, logo de cara, já participar desse puta projeto, pra nós foi demais! A experiência foi foda, os profissionais do estúdio são excelentes, toda a atenção da equipe da Rubber Tracks gringa e nacional, assessoria, tudo perfeito! Saímos MUITO contentes com os resultados das duas músicas que gravamos. Isso vai contribuir MUITO pra banda. É um projeto internacional, respeitado e reconhecido em todos os lugares. Então, ter participado disso é um grande ponto pra banda, como reconhecimento do nosso trabalho, como oportunidades que podem surgir a partir disso. Só coisa boa! Quanto ao lançamento das músicas, pois gravamos duas, como disse acima, vamos dar uma segurada, infelizmente, pois acabamos de lançar nosso primeiro disco, então, queremos deixar acontecer primeiro com o disco, e assim que “esfriar”, lançamos esses singles! Que aliás, ficaram FODAS! A ideia é lançar ou como singles ou de repente, essas duas juntas mesmo. Gravamos em video todo o nosso dia no estúdio, pode ser que saia um combo video/música tudo novo!

NADA POP – Como vocês definiriam o som da Testemolde e quais as principais influências da banda? Além disso, contem como foi início da banda e como surgiu esse projeto? Vocês possuem outras bandas e quais?

GUILHERME GARCIA – Cara, nossa trajetória é bagunçada. Tivemos bandas juntos com outros parceiros de 2001 a 2006 mais ou menos, a banda acabou e cada um seguiu um rumo com outras bandas. Mas no fim, em 2008 e 2009, nos juntamos de novo, as outras bandas também não tinham dado certo. Então, David (baixo), Azeite (guitarra) e eu, Guilherme (batera), nos juntamos de novo. E tinha ainda o Daniel, que na época fazia o baixo e o David segurava a guitarra. Ou seja, éramos um quarteto. Além disso, as músicas, pelo menos quase todas, tinham letras, e quando o Daniel saiu, o David assumiu o baixo e acabamos ficando sem vocalista, pois o Daniel que segurava a maioria dos vocais. A partir daí, não sentimos falta de ter um vocal na banda, e ai acabamos virando uma banda instrumental! Se você reparar, muitas músicas tem uma construção muito voltada pra ter um vocal, mas readaptamos algumas coisas pra não fazer falta! As músicas mais novas já estão mais com cara de música instrumental, sem muito verso/refrão/ponte etc, simplesmente vamos tocando e acertando! Acho que é isso! E hoje em dia, dá muito certo, 3 caras, a conversa fica mais fácil, e somos diretos, baixo, guitarra e batera e só! Power trio de peso! Atualmente, o único que tem outra banda é o David, ele toca no DESGRACIADO também! Como guitarrista e vocal. Quanto as referências/influências, a gente escuta MUITA coisa e MUITA coisa diferente, do jazz ao metal. Mas pensando no som que fazemos, eu diria que nossas principais referências são: HELMET, MELVINS, FAITH NO MORE, DEFTONES, PELICAN, RUSSIAN CIRCLES, e por ai vai. É muito dificil dizer alguns nomes só, mas essas que citei, estamos sempre escutando!

NADA POP – Se vocês tivessem uma máquina do tempo e cada integrante pudesse voltar e assistir três shows, quais shows seriam e por quê? 

GUILHERME GARCIA – Olha, eu queria MUITO ter visto um show do PANTERA, porque sempre fui muito fã da banda e a única oportunidade que tive, com o ingresso comprado, os caras cancelaram em cima da hora e pouquíssimo tempo depois a banda acabou! Um do THE POLICE, que também não tive oportunidade e quando tive, do show que rolou no Rio, não consegui ir. E admiro MUITO o batera e as músicas me influenciaram muito! E o terceiro, eu acho que um do QUEEN, que foi outra banda que desde moleque por causa do meu pai, escutei MUITO! E seria histórico assistir um show dos caras! O resto, acho que no passado, vi tudo que queria! hahahahaha.

DAVID MENEZES – Elvis Presley, porque ele era o rei… Frank Zappa, dispensa comentários, Raul Seixas o maior roqueiro que o Brasil já teve!

AZEITE – Nirvana – Hollywood Rock 1993: pelos acordes marcantes ícone de uma geração. Jimi Hendrix – Woodstock: pelas possibilidades de expressão por timbres distorcidos que amplificavam a voz da alma na guitarra. John Coltrane e Archie Shepp – New Thing at Newport: pelas atitudes e expressão poética das ideias a frente do seu tempo.

Testemolde
http://www.facebook.com/TesteMolde

As outras duas entrevistas desta série você poderá ler AQUI (Statues on Fire) e AQUI (O Inimigo).

Até!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: