quinta-feira, 24 de Maio de 2018
Nada Pop

3 Perguntas – O Inimigo | Rubber Tracks

Com a banda O Inimigo encerramos a série de três perguntas com alguns dos artistas que foram selecionados pelo projeto Rubber Tracks, da marca de tênis Converse. O projeto, para quem não conhece, convida bandas para gravar durante um dia inteiro e totalmente na faixa em um estúdio profissional. A banda sai do estúdio com a sua música produzida e com todos os direitos autorais sobre as faixas gravadas garantidos. Para saber sobre o projeto e como ele funciona basta clicar AQUI.

Formada pelo Fernando Sanches, Gian Coppola, Juninho, Ale Cacciatore e Kalota, O Inimigo é uma banda de punk/hardcore nascida em 2001. Abaixo você confere nossas três perguntas para o grupo que, entre outras coisas, falou da experiência de participar do projeto.

NADA POP – Mesmo se tratando de uma banda com experiência de álbuns e estrada, como vocês avaliam a possibilidade de um projeto como o Rubber Tracks, que dá a chance de uma banda gravar durante um dia inteiro e na faixa num estúdio profissional, ajudar no crescimento musical de uma banda?

JUNINHO – Eu acho incrível essa iniciativa, já conhecia o projeto por ter visto banda de amigos participarem da edição anterior, daí pra essa já me inscrevi e rolou! Crescimento musical da banda é um termo perfeito pra isso, pois não é qualquer banda que consegue juntar grana pra gravar num estúdio tão bom quanto o Family Mob, então esse projeto leva uma banda por um dia num esquema dos sonhos, com vários profissionais dando dicas, vários amplis, bateras, pratos pra você escolher do melhor, sem miséria.

NADA POP – O que vocês podem falar sobre os sons gravados no estúdio, já possuem ideia de como vai ser o lançamento? Tem algum álbum novo saindo?

JUNINHO – Nós gravamos um disco no ano passado, então não temos ainda nada pronto para um disco novo, isso que gravamos foram duas músicas que já tínhamos prontas pelo processo natural da banda de estar sempre compondo. Ainda não tem temos uma ideia exata do que será, mas podemos adiantar que sairá em compacto, vinil 7″. Estamos falando com algumas bandas de fora do Brasil pra lançar um split, mas como disse antes, apenas uma ideia, vamos ver o que acontece.

NADA POP – Eu poderia perguntar qualquer outra coisa para vocês referente ao projeto, shows e até mesmo sobre comparações sobre o início da banda e hoje. Mas tenho uma curiosidade pessoal. Para vocês qual o maior aprendizado em ter uma banda punk/hardcore? Além disso, qual banda é a principal referência para vocês?

JUNINHO – O maior aprendizado é colocar na prática tudo que sempre foi e está sendo dito pelas bandas punk-hardcore da história. Minha vida é completamente influenciada por tudo que escutei de música, forma de se vestir, comer, relação com amigos, visão política, isso serve para mostrar que não é entretenimento, e sim um estilo de vida que é levado a sério por muitos no mundo todo. Minha maior banda referência é Fugazi!

GIAN – Pra mim o maior aprendizado é você ser correto com as pessoas, porque numa banda punk/hardcore independente você viaja para lugares muito diferentes, conhece pessoas de outros estados e até de outros países e com isso você acaba sem querer, virando exemplo de um modo geral nesse contexto!
E bandas de referência pra mim são: Black Sabbath, Agnostic Front e D.R.I. e das bandas mais atuais: Mastodon e Only Crime.

ALE – Eu aprendi que fazer um som com uns caras que você já era fã antes, é bem mais responsa, mas também é bem mais legal. Bandas referência: Sabbath, Descendents, Black Flag e Minor Threat.

O Inimigo
http://www.facebook.com/oinimigo

As outras duas entrevistas desta série você poderá ler AQUI (Statues on Fire) e AQUI (Testemolde).

Até!

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Maurício Martins

Jornalista, pai da Maria Stella, fã de quadrinhos e ficção científica. Aficionado por música, especialmente pelo punk e hardcore. Também é idealizador e editor do Nada Pop.

%d blogueiros gostam disto: