quarta-feira, 22 de abril de 2020
Nada Pop

Ironia e sarcasmo; Assista “The Witches”, o novo clipe da banda mineira pata

Pata – The witches

Resenha por: Hanna Halm

Um rock que alterna entre tons sombrios e vibrantes, canta a vingança das bruxas e suas descendentes contra seus opressores

O terceiro videoclipe do álbum Shit & Blood, da banda belorizontina Pata, começa com mãos sendo lavadas na pia. Não, não se trata da prevenção do COVID-19, mas sim de outro tipo de expurgo. A música, um rock que alterna entre tons sombrios e vibrantes, canta a vingança das bruxas e suas descendentes contra seus opressores. Mas a pegada da banda traz sempre um tom de ironia sarcástica, e daí vemos a primeira metade do clipe cheia de imagens de filmes de terror camp de baixo orçamento, misturadas a trechos do show de lançamento do álbum, captado pela Tesoraria em junho de 2019. A direção do vídeo, assinada pelo músico mineiro Jonathan Tadeu, buscou manipular digitalmente essas cenas para assim ressignificar a imagem clássica da mulher associada ao medo, à fragilidade e ao horror. No entanto, o horror de verdade está aí: as violências, as injustiças e as desigualdades brutais, os filhos do nazismo e a repressão do Estado. Na segunda parte do vídeo, se esse horror verdadeiro toma conta da realidade, expondo a opressão real às “bruxas” de hoje e outros perseguidos, é a luta, cantada pela Pata, em um coro contagiante, que se mostra capaz de vencê-lo.

Assista o Clipe:

Ficha Técnica:
Direção e edição : Jonathan Tadeu;
Filmagem da banda feita pela Tesoraria, no show de lançamento do disco no dia 14 de junho de 2019;
Musica & letra: Lucia Vulcano
Produzido e mixado por: Rafael Dutra master: ygor rajão
Gravado @ estudio motor (Belo Horizonte/MG – Brasil)

pata é:

Lúcia Vulcano – guitarra e voz
Beatriz Moura – bateria
Luis Friche – baixo

Selos: Efusiva / Geração Perdida

Gostou desse Post? Compartilhe!

Sobre o autor

Lety Trash

Lety Trash é editora do Nada Pop, além de guitarrista na Trash No Star, integrante da Errática, produtora na Efusiva Records e MOTIM, um centro de cultura no Rio de Janeiro.